Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Hipster Chique

@bichodagalaxia . humor . nerd . fluente em klingon . criativa - ish . opinião

A Hipster Chique

@bichodagalaxia . humor . nerd . fluente em klingon . criativa - ish . opinião

Um Dia Sem Tecnologia

Fevereiro 05, 2019

AMANHÃ SAI O ROAST D'A HIPSTER CHIQUE... PARTE UM!

 

A Desconhecida propôs-me passar um dia sem tecnologia e eu achei que seria algo que conseguiria fazer facilmente, bem enganada estava eu. Claro que sei que uso muita tecnologia para o meu dia-a-dia mas nunca pensei que estivesse tão perto de um vício grave.

Para passar um dia assim tive de colocar algumas regras porque como não tenho telefone em casa e tenho de falar pelo menos com três pessoas que estão longe no dia-a-dia, coloquei um horário para efectuar essas chamadas e o restante tempo passei sem tecnologia.

Escolhi um dia mais calmo a nível de trabalho porque uso o computador quase de forma exclusiva para trabalhar. Sabia que tinha de avisar algumas pessoas em relação ao meu blackout e só me coloquei na companhia do telemóvel, sem dados móveis, por motivos de emergência.

Agora, conto aqui a experiência de um dia diferente.

 

Acordei com um despertador a pilhas e não com o despertador do telemóvel. Costumo colocar música logo de manhã para me ajudar a começar melhor o dia e desta vez foi um livro que me ajudou no processo. 

Tomei um duche e graças dou porque nunca precisei de tecnologia para tal e há algo muito errado com quem precisa, vesti-me, tomei o pequeno-almoço e sem ver o horário dos autocarros no telemóvel, fui na desportiva sem qualquer informação e esperei vinte minutos de forma muito impaciente porque não conseguia saber quanto tempo faltava para o autocarro chegar. Normalmente mando uma mensagem para o serviço da Carris para saber quanto tempo falta, como não dava com sinais de fumo, lá plantada fiquei.

Os livros foram as minhas companhias em momentos mais parados, como ir em viagem, estar a almoçar, onde costumo ouvir música ou a ver vídeos. 

Em vez do computador fiz-me acompanhar de um caderno e caneta e foi assim que fiz uma reunião de trabalho, com muito sucesso. Isto é algo que não funcionava com qualquer tipo de reunião.

Como só tinha uma reunião que me ocupou a manhã toda, voltei para casa. Comecei a fazer limpezas acompanhada de um silêncio mortal, arrumei a sala e o quarto, escrevi muito no caderno, li e cozinhei marmitas para a semana inteira. Tudo isto numa tarde, sem televisão, sem telemóvel, nada.

Fui às compras sem ver os folhetos da promoção na internet, jantei e estive a ler e a trabalhar, usando um caderno, até à hora de ir dormir.

 

CONCLUSÕES

  • Saí de casa com 98% de bateria e regressei com 80% (18% da bateria foi usada para fazer as 3 chamadas ao final do dia), por norma chego a casa já com a bateria no vermelho;

 

  • Estive 14 minutos ao telemóvel nas chamadas que tinha de fazer;

 

  • Não ouvi música nem vi televisão e isso não me custou nada, de todo;

 

  • O pior momento do dia foi quando fui à casa de banho, sem telemóvel e sem revistas/livros (por esquecimento) e parecia que já não sabia fazer cocó sem ler ou ver algo ao mesmo tempo. Fui à moda oldschool e comecei a ler o rótulo das toalhitas e da lixívia (NO QUE ME TORNEI!!)

 

  • Quando fui à net no dia seguinte, parecia que tinha perdido muita coisa, não sabia o que se passava e percebi que preciso de mudar um muito os meus hábitos e começar-me a focar no que realmente interessa e é importante

 

  • Senti imensa falta do computador pois é a minha ferramenta de trabalho, a escrita manual não conseguiu substituir totalmente o seu uso

 

  • Usava o Google Maps para saber onde fica determinado sítio e desta vez andei a perguntar às pessoas

 

Sem dúvida que a tecnologia se tornou quase numa necessidade básica e isso está ERRADO. Num dia normal sou capaz de estar 7h do meu dia de volta da tecnologia e nesse dia estive 14 minutos (chamadas) e é assustadora a sensação de estranheza que tinha porque não podia mexer no telemóvel, mesmo em coisas tão básicas como ver as horas ou pesquisar o significado de uma palavra.

A sociedade vive em ecrãs e percebi que mal se via alguém sem o seu dispositivo na mão. Quero começar a diminuir o meu tempo de ecrã e já defini alguns objectivos e conselhos a seguir:

  • Só mexer no telemóvel se necessário (MESMO!)
  • Deixar o telemóvel na sala quando for dormir e meia hora antes de me deitar coloca-lo de lado
  • Se não está a dar nada de jeito na televisão, desligar e ler um livro, desenhar, tocar ukulele
  • Passar um máximo de 2h por dia nas redes sociais
  • Usar agenda de papel e despertador de pilhas

 

Nem sempre consigo cumprir tudo isto à regra mas estou a tentar melhorar.

 

E vocês, acham que são viciados em tecnologia?

O que vos custava mais de tivessem de passar um dia sem tecnologia?

Desafio todos a tentarem e a darem o vosso testemunho no vosso blog.

 

A Hipster Chique

#dia 133 - A complexidade das mensagens de texto

Maio 27, 2017

Este post é apenas informativo, pois eu não sou ninguém para criticar cada caso que vou aqui referir porque praticamente me enquadro em cada um, às vezes vá.

Eu andei a fazer uma pequena reciclagem nas minhas mensagens de texto e encontrei-me com cada situação que não podia fazer muito mais, a não ser partilha-las. Vou separa-las em tipos e grupos e acredito que muitos de vocês são culpados por alguns deles...

 

 

TRADUÇÃO POR FAVOR

Aqui consigo enquadrar erros ortográficos, siglas ou "papa letras"...

EU: "Olá, tudo bem?"

COISA: "Olá, td e ctg? Q ands a fzr?"

Nem é assim algo tão grave, mas a mim faz-me confusão. Pobres letras, que lhes fizeste? Estás assim com tanta preguiça para falar comigo? Isso é uma indirecta? Algo que pode acontecer depois de mensagens deste género é uma viagem ao Google Tradutor para tentar perceber de que língua se trata.

COISA: "Xabs k dia é oje? vai avr fexta na associaxao e pudiamus ir todux. bota? a xerveza vai tr bue brta."

Ah? O quê? Alguém teve um ataque de pânico a ler isto? Eu tive... vários! O "k" e o "x" raramente passa, mas o resto é demais. Esta pessoa não levou resposta porque no fundo só queria insulta-la e também na altura o meu cérebro desistiu de tentar perceber porque me dou com tal gente.

 

 

AOS PINGOS

Este é daqueles tipos de pessoas que mais me irrita de falar, porque em primeiro fazem o meu telemóvel parecer que está a ter ataques convulsivos de tanta vibração e segundo porque fico logo a pensar que o fim do mundo está perto porque parece sempre uma mensagem de urgência, mas não... é isto...

COISA: "Hey"

             "queres"

             "ir"

             "ao cinema"

             "?"

             ":)"

EU: "Não."

COISA: "Eu"

             "pago"

             "anda"

             "lá"

EU: "Estou pronta às 20h. Não mandes mais mensagens!"

Sem 

julgamentos

por 

favor!

 

 

ATAQUE NERVOSO

Já receberam (ou mandaram) aquelas mensagens que parecem que vos gritam na cara em qualquer assunto? Eu não sei se já mandei, mas sei que já recebi várias. Aliás, tenho uma amiga que me manda sempre mensagens deste género e eu não vejo o dia em que ela vai estar miserável e triste... ou que o caps lock do telemóvel deixe de funcionar...

EU: "Olá"

COISA: "OLAAAA!! OH MEU DEUSSS!! HÁ TANTO TEMPO, COMO ESTÁS??!! :D :D :D :D :D :D :D"

(fez apenas 24 horas desde a última vez que falamos)

EU: "Tudo bem e tu?"

COISA: "ESTOU TÃOOO BEM! TEMOS DE COMBINAR ALGOOO! :D :D :D"

 

 

AUTO-CORRETOR

O nosso inimigo número um nas mensagens e que por algum motivo nos leva toda a inteligência, paciência, calma e concentração. Claro que já todos aqui, como eu, utilizamos a desculpa do auto-corretor quando mandamos mensagem para aquele especial e não recebemos o que queríamos:

EU: "És tão lindo. Queres sair comigo?"

COISA LINDA: "Ah, desculpa. Mas gosto de outra pessoa."

EU: "Desculpa HAHAHAHA. Oh meu deus. Foi o auto-corretor. O que queria dizer é "És tão bem educado. Obrigada por me emprestares os resumos da aula."

Quem nunca, certo? Certo?

Mas às vezes a coisa corre de forma ainda mais estúpida...

EU: "Olá. Já tens os pénis lavados?

       "*pénis"

       "*pénis"

       "Oh meu deus, *pénis"

       "*TÉNIS!"

       "Auto-corretor é estúpido!"

Sim, o "auto-corretor" é que é estúpido...

 

Como podem ver, o mundo das mensagens de texto são de uma complexidade extrema!

 

A Hipster Chique

ANDO A LER

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D