Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Hipster Chique

humor . nerd . fluente em klingon . criativa - ish . opinião

A Hipster Chique

humor . nerd . fluente em klingon . criativa - ish . opinião

#dia 96 - A Hipster Chique

Abril 20, 2017

Hoje quero falar deste pequeno mundo que criei chamado "A Hipster Chique". Falar d'A Hipster Chique é o que mais tenho feito principalmente por causa do livro que irei lançar brevemente com o mesmo nome e inspirado no blog.

As mesmas perguntas e olhares surgem cada vez que falo do livro ou do blog, "Escreves sobre o quê?", "O livro é do quê?", "Porquê o nome A Hipster Chique?", "Como reages a críticas?"... Eu tenho respostas minhas para tudo isso, a questão é que por diversos motivos, parece que não me consigo explicar como quero ou as pessoas não percebem o que realmente ando aqui a fazer com o blog e porque raio irei lançar um livro.

Irei responder a tudo, não porque os outros precisam saber, apenas por mim. Afinal, tudo isto saiu da minha cabeça e começo a achar que sou a única a perceber...

 

Porquê o nome "A Hipster Chique"?

Sentada na cama, numa insónia enorme decidi procurar um local para criar um blog, sem ser o blogspot. Encontrei o Sapo Blogs. Em menos de 1 minuto estava a escrever e a criar tudo com o nome "A Hipster Chique", não sei como pensei no nome. Apenas me veio à cabeça e a partir daí foi ver se já existiria algo do género, não existia. Bem, passou a existir.

 

Vais lançar um livro? De quê?

Com honestidade? Não sei. Eu sei sobre que escrevo e é muita coisa, são muitos temas, eu apenas juntei textos e criei um manuscrito para um livro. Tem humor, tem ironia, tem sarcasmo, tem estupidez, tem vida real e principalmente tem a minha personalidade. O livro é meu e sempre que leio o manuscrito eu não dúvidas sobre quem escreveu, porque é a minha mente e por vezes isso é difícil para as pessoas perceberem. O mesmo para o que escrevo no blog.

 

Como reages às críticas?

Coisas como "Não sei como vão publicar este lixo" e "Não gosto nada do que escreves, parece muito infantil" são só alguns exemplos daquilo que já li sobre A Hipster Chique. Como reajo? Bem, não reajo.

A questão é, todos tem direito à sua opinião e a dizer se gostam ou não de algo. Se me incomoda ler coisas assim? Claro que sim. Se dura muito mais que uns minutos? Claro que não.

Eu já tive pessoas que conheço a dizer que não gostam do que eu escrevo, que acham escrita pobre ou um pouco juvenil demais. Tudo bem, continuam a apoiar-me. Nem todos tem de gostar.

 

Como consegues escrever todos os dias?

Apenas porque gosto. Nem que seja uma frase, um pequeno post, todos os dias eu tenho de escrever e desde o dia 15 de Janeiro que isso acontece. Nunca falhei um dia e isso orgulha-me. Sou uma rapariga de muitas ideias e que quer meter cá para fora o seu mundo.

 

A Hipster Chique é o meu bebe. É a minha companhia. É algo que nasceu na minha cabeça, um blog e agora um livro. Não escrevi um livro ou tenho publicidade no blog só com a finalidade de fazer dinheiro. Não mesmo. É bom ter comentários, é bom ter pessoas que lêem aquilo que eu escrevo e gostam e é bom receber dinheiro com isso. Mas não é o principal. Eu escrevo porque quero, porque gosto e por mim.

Gostem ou não, critiquem ou não, eu não vou parar. Continuarei a escrever todos os dias e na minha Bucket-List o traço no "Escrever um livro" já está a tinta permanente.

 

Obrigada por quem me apoia e lê e obrigada a mim mesma por não desistir.

 

A Hipster Chique

 

 

 

#dia 95 - Ainda reclamam? Só lhes enfiei um garfo onde o sol não brilha!

Abril 19, 2017

Eu tenho pouca fé no mundo e ás vezes certas pessoas fazem-me ter ainda menos. Pois, nunca ouviram nada que saiu da boca de um bicho andante e que de repente na vossa área cerebral responsável pela raiva sofre um ataque terrorista? Eu já e se essas pessoas ainda estão vivas, só tem de agradecer à promessa que fiz ao padre lá da terra, de nunca mais cometer homicídio, depois de arrancar a cabeça a uma galinha...

Histórias verdadeiras. Vá, uns 70% de verdade!!

 

Convite para ir a casa de alguém...

Criatura: "Não tenho nada no frigorífico!"

Minha mente: "Então porque me convidas-te para quê? Para ficar a olhar para ti? Deves achar que já não vejo almas podres o resto do di..."

Criatura: "Vou mandar vir uma pizza. Ofereço eu!"

Eu: "Acho que me apaixonei por ti."

 

Com um amigo a ver televisão e A Teoria do Big Bang começa a dar...

Criatura: "Ui, tira esta porcaria."

Minha mente: "Porcaria fez a tua mãe quando autorizou a tua entrada no seu óvulo."

Muda de canal e começa a dar o Crepúsculo (se não sabes o que é, não queiras saber)

Criatura: "Brutal, adoro este filme."

Eu: "Cheira-te a gasolina?"

Criatura: "Não, porquê?"

Eu: "Espera um pouco, eu resolvo isso."

Não sei que é feito desta pessoa desde então.

 

Vou sair e encontro alguém que conheço e tenho a camisola dos óculos do Harry Potter

Criatura: "Adoro a tua camisola."

Eu: "A sério?" (Felicidade no máximo!!)

Criatura: "Sim. É do quê?"

(Passou a felicidade)

Eu: "Do Harry Potter!"

Criatura: "Achava que eram óculos normais. Devo ter visto uns dois filmes. Não gostei, muita palhaçada!"

Minha Mente: "Achava que tinhas uma cara normal. Devo ter visto mal das últimas vezes. Não gostei, muita anormalidade!"

Eu: "Seven Days!"

 

A Hipster Chique

 

 

 

 

#dia 94 - Os meus '90

Abril 18, 2017

Sou menina dos '90 e com muito gosto. 

Não sei como tive tanto tempo sem escrever algo sobre o que considero uma época de ouro para mim. Eu era feliz nessa altura, não é que não seja agora, apenas alcançar a felicidade era algo muito simples. SIMPLES, a palavra maravilhosa que resume essa altura.

Altura onde a tecnologia não abafava a interacção humana. Eu preferia contacto humano a uma peça electrónica. Mesmo assim, este post será uma retrospectiva um pouco geek do que foi os meus anos 90. 

 

Tamagotchi (1996)

Assim começou o curso de paternidade e maternidade, era assim que se aprendia a educar e a tratar um filho. Durante quase um ano que mantive o meu vivo e de boa saúde o que é um bom presságio. A porca da professora é que me proibiu de o levar para a escola e quando cheguei a casa estava morto... Um crime pelo qual ela nunca pagou!

E o mais interessante dos Tamagotchi é que mesmo sendo um pedaço de tecnologia podias juntar os amigos e fazer o teu bichinho ser amigo dos bichinhos deles... e isto ficou estranho... Próximo!

 

Nintendo '64 (1996)

Para além de ser uma consola de vídeo e que pode viciar, eu tinha controlo e não jogava mais que uma hora por dia e por vezes ficava dias sem jogar. O dia que a recebi foi um dos dias mais felizes da minha vida. Quando amigos iam lá a casa, jogávamos International Superstar Soccer 64 e eu queria ser sempre da Argentina, sabe-se lá porquê e sozinha jogava Super Mario 64 e Pokemon Snap. Não interessa quantas Playstation's venham, nada será tão bom. Até mesmo quando tinha de soprar para dentro das cassetes para tirar o pó porque o jogo não estava a funcionar. Era boa aspiradora e olhando para trás, não vejo que seria assim tão saudável e isto ficou estranho outra vez porque aspiradora é tão mau... Próximo!

 

Bola de Futebol

Não, não era das Adidas, não era da Nike, nem tinha um desenho todo XPTO. Era preta e branca, por vezes toda rota, mas os jogos duravam horas, sem regras, as balizas eram duas pedras e só parávamos quando o dono da bola tivesse de ir embora ou quando as mães nos atacavam com a colher de pau. Eram ameaças que se cumpriam!! Meu rico rabo... Próximo!

 

Pokemon (1995)

Aqui divido este tema:

- Tazos .. Era a loucura, a adrenalina, aquelas batalhas no recreio pelo tazo mais poderoso, pelo Pikachu, para mostrar colecções aos amigos. Passávamos horas a falar do assunto e aos fins de semana víamos os desenhos animados do Pokemon e comentávamos uns com os outros, não por redes sociais, mas no recreio cara-a-cara, chocante não é! Ainda me lembro daquela batalha doida onde um colega meu apostou o seu Pikachu, já todo gasto e de eu suar para o ganhar. Ganhei, mas perdi um amigo...

- Cartas .. A mesma loucura e adrenalina, mas com estratégia e pensamento calculista. Tudo era pensado ao mínimo pormenor em cada jogada. Ganhava muitos encontros de batalha, mas perdi muitos também... amigos!

Um grande obrigado a Satoshi Tajiri por trazer esta maravilha ao mundo. Próximo!

 

Walkman

Não que tenha sido algo criado nos anos 90, mas fez parte dos meus anos 90. Uma cassete gravada com música que passava na rádio, tudo gravado manualmente e com o mínimo ruído possível. Se alguém fizesse barulho enquanto eu estava a gravar a música para a cassete, havia fúria, pelo menos até a minha madrinha me ameaçar com farinha de pau para o jantar e a minha mãe me mostrar o rolo da massa, quando não havia massa para amassar (digam tudo muito rápido). 

Lá andava eu, a ouvir música gravada da rádio, sem poder passar para a música seguinte e sempre com medo de que a fita da cassete desse nó ou que as pilhas acabassem. Era o meu momento e eu andava pela rua a ouvir música como se estivesse no meu próprio vídeo clip. Depois espantava-me de ser mal falada... Próximo!

 

Árvores

Eu e uma amiga costumávamos ir pelas árvores de casas alheias, subíamos e roubávamos cerejas. Fico espantada de não ter cadastro ou pelo menos a cabeça partida. Bons momentos, até a porca da vaca da minha amiga mostrar que apanhou mais cerejas que eu e não querer dividir o saque. Hoje em dia não nos falamos, pergunto-me o porquê...

 

Fim

 

A Hipster Chique (feliz criança era eu)

 

#dia 93 - O mundo dos filmes de terror

Abril 17, 2017

O tema deste post foi trazido pela senhora minha mãe, uma apreciadora profissional de filmes de terror. É graças à minha mãe que neste momento me encontro viva e é também graças a ela que neste momento não consigo ver um filme de terror sem ter pesadelos durante um mês ou transformar a minha cama num lago urinário. 

Sabem quando abusam de algo e depois enjoam ou ficam enojados só de ouvir falar? Foi o que me aconteceu com os filmes de torres, vi tantos com a minha mãe que acabei por ganhar uma certa intolerância.

Mas como é óbvio depois de tantos filmes ganhei uma certa experiência que me dá qualificações para escrever, criticar ou ridicularizar este género cinematográfico...

 

Loiras

Sinto-me ofendida, sou loira e pelo que percebi tudo o que é loira dura 2 minutos em filmes de terror e todas tem um IQ que não faz inveja nem a uma batata cozida! Porque? Eu mal me lembro de uma protagonista loira que sobreviva, não fique maluca ou não seja o espírito maligno do próprio filme. Já chega de ridicularizarem as loiras! Protesto!

 

Barulhos

Que fariam se ouvissem um barulho demasiado suspeito na vossa casa durante a noite? Eu não sei quanto a vocês, mas eu definitivamente tentava ir para a saída mais próxima da minha casa e ligava à polícia. Não me interessa que fosse o cão a usar o abajur como objecto sexual, eu entro em modo de emergência. Em filmes de terror só vejo aqueles atrasados a ir em direcção ao barulho e a perguntar "Está aí alguém?"... sim filha, vai-te mesmo responder e nem te mata nem nada!

 

Comunicação

Por algum motivo eu acho que as personagens me vão ouvir porque eu passo certos filmes a gritar para o ecrã "Não vás para aí!", "Foge do país!", "Queima a boneca, foge e muda de nome.", mas nada. Eles não me ouvem e eu como é óbvio sei tomar melhores decisões de vida. Enfim...

 

Bonecas

A boneca muda de sítio, faz barulhos e mesmo assim acham normal e continuam com ela. Se eu visse o meu pato de peluche a aparecer num sítio que definitivamente não fui a eu a colocar eu mandava-o para o lixo, queimado! E se fizesse um som, eu mudava de casa e deixava-o para trás. 

 

Luz

Nos filmes dá-me a sensação que ninguém paga a conta da luz. Está sempre tudo uma escuridão! Ou então não gostam de interruptores. Eu assim que chego a casa vou ligando tudo o que me aparece à frente porque o escuro assusta-me. 

 

Espíritos

Só de imaginar que haveria um espírito em minha casa eu apenas mudava de casa. Agora aquela gente anda com crucifixos, água benta, chama o exorcista e ainda implora para o espírito ir embora! Haja inteligência. Se fosse um filho possuído, eu mandava para a adopção!

 

Eu sobrevivia em filmes de terror, porque não aparecia mais após a primeira indicação de algo errado.  

 

A Hipster Chique

 

 

 

#dia 91 - Páscoa... O que é isso?

Abril 15, 2017

Estou mal-humorada. Hoje é um daqueles dias e por isso o post de hoje é simplesmente uma corrente de pensamentos e acções do meu dia.

 

Conselho para tornar este post interactivo: Façam uma flexão cada vez que lerem "Páscoa" neste post!

 

Recebi uma mensagem que dizia "Boa Páscoa :)" e a minha reacção imediata foi "Estará bêbado?", mas lá percebi que afinal é altura da Páscoa. E o que é a Páscoa? 

Bem, para mim quando era pequena, Páscoa era sinal de amêndoas e ovos de chocolate e ir a casa de conhecidos beijar uma cruz infestada de bactérias que passaram de boca em boca, depois a minha mãe admira-se de ter herpes.

Há uns tempos continuava a significar amêndoas e ovos Kinder Grande Surpresa, que se tornaram obrigatórios desde que recebi o primeiro, e ficar por casa com a minha mãe a ver filmes.

Hoje em dia significa 4 dias livres de faculdade e no futuro nem isso vai significar provavelmente.

Mas depois daquela mensagem meti o cérebro em funcionamento e pensei (o que nunca é bom quando estou em humores menos normais) e tentei perceber porque ainda se celebra isto...

1. Pode ser por causa da comida, as pessoas adoram comer

2. Pessoas que gostam de estar com a família (não entendo)

3. Tradições religiosas

E não faço mais porque não percebo.

De tudo o que ouvi, a Páscoa celebra a morte de um homem e... isso é lá coisa que se celebre?

E o coelho da Páscoa dá ovos como? É filho de uma relação entre espécies de uma galinha com um coelho? Isso não é natural minha gente!!

(nada do que escrevi é para insultar religiões ou fés. Cada um é livre de seguir a sua fé e eu respeito isso)

 

Avançando...

 

Tocaram à campainha enquanto eu estava no meu momento de adoração ao tecto do meu quarto, só por isso já não iam levar com boa coisa da minha parte. Era um casal do Reino de Deus. E foi isto:

Coisa: Boa tarde. Uma jovem, tão bom. Somos do Reino de Deus e estamos a espalhar a palavra de Deus.

Eu: Ok

Coisa: Acredita em Deus?

Eu: Não

Coisa: Já acreditou?

Eu: Não

Coisa: Sabe porquê?

Eu: Não

Coisa: É por causa da ciência que deixou de acreditar! (mas eu nunca acreditei...)

Eu: Poi..

Coisa: Sabe que nós a podemos salvar e tira-la das sombras. Tenho aqui este panfleto que a vai ajudar. Tem o site de Internet que vocês gostam muito dessas coisas e pode encontrar o caminho.

Eu: Ok

Coisa: O meu nome é .... e este é o meu marido.

(quando olhei para o marido, ele sorriu e fez uma cara de predador sexual que só pensei ir direta ao computador e criar um grupo no Facebook chamado "Vaginas Desidratadas" com a foto do senhor como perfil)

Eu: Ok

E fechei a porta. Quanto ao panfleto, está na reciclagem.

 

Avançando...

 

Fui ao Pingo Doce e digo-vos, eu senti a minha tensão arterial subir de uma maneira que nenhuma máquina iria conseguir captar tais valores.

Para perceberem, ouvi algo do género "Está aqui na palete, mas tem de esperar um bocado até eu tirar. Uma meia hora."... O QUÊ??

Ia mesmo esperar meia hora até a criatura tirar tudo da palete, quem sabe fazer um sofá de maças e uvas e esperar sentada.

Enfim!

 

Depois passei o resto do dia no quarto, fui jantar e cheguei a uma brilhante conclusão... Amanhã é Domingo.

 

Boa Páscoa

 

A Hipster Chique

 

 

 

 

 

 

#dia 90 - Serviços públicos .. Guia de como acabar na prisão!

Abril 14, 2017

Eu bastava-me escrever o título e parar por aí, porque basta ouvir "serviços públicos" e a espinha arrepia, o medo instala-se e a raiva precisa de vacina urgente.

Eu já passei muitas horas em serviços públicos e o que eu rezei, para não ir presa por agressão a um funcionário ou pessoa/animal que estava na fila. Todos os dias por volta das 7h lá começa a fila na Loja do Cidadão que dá a volta ao quarteirão. São mais que as mães e nem 60% irá sobreviver. Digamos que os serviços públicos são os Hunger Games do ser comum. 

Muito do que vou falar foi retirado de experiências pessoais e conhecimento...

 

Correios

O que deveria ser até um serviço mais calmo, foi o responsável por diversos traumas que ainda hoje me assombram. Por exemplo:

. Não estar presente na minha zona de habitação para receber uma encomenda e lá estava o aviso na caixa do correio para na manhã seguinte a partir das 8h poder ir buscar a encomenda. Era urgente, mas lá me conformei. Nessa mesma tarde avistei o carteiro que faz a distribuição aqui no bairro, ao que ele me diz que a encomenda está na carrinha, mas que se for muito urgente podia ir a partir das 18h aos correios, que ele depositava lá a encomenda. Toda contente agradeci e fui, tirei a senha e quando foi o meu número esta foi a conversa com a funcionária:

Eu: Boa tarde. Eu vinha levantar uma encomenda, pois não estava em casa hoje para receber, mas o seu cole...

Coisa: Se não estava hoje só pode levantar amanhã, a partir das 8h. Boa tarde.

(entretanto o carteiro entrou dentro do gabinete com várias encomendas)

Eu: Mas o seu colega disse que se era muito urgente podia vir tentar levantar hoje visto que ele também acabou de chegar.

Coisa: O meu colega não tem autoridade. Se no aviso diz amanhã, é amanhã que vem.

Eu: Mas não podia fazer um jeito? É mesmo urgente.

Coisa: Eu não estou aqui para fazer jeitos a ninguém. Boa tarde. Seguinte!

...

Aquela bicha com cara de prisão de ventre levou uma reclamação no dia seguinte e desde então trata-me melhor que a minha mãe!

 

Cartão de Cidadão

Infelizmente já tive o azar de perder o cartão de cidadão e por grande "sorte" nem fotocópia tinha. Perdi a carteira e todos os documentos que lá estavam. Precisei fazer o cartão de cidadão... Fui apresentar queixa à polícia e levei a queixa formulada em papel ao gabinete do Cidadão para fazer o cartão novo. Tudo correu bem, impressão digital, fotografia com cara de condenada por homicídio e uma assinatura de pré-primária.

No levantamento do cartão a conversa já foi outra... Mais uma vez, lá fui eu, tirei a senha, fui chamada, dei o meu nome e coloquei o dedo para verificação de identidade através da impressão digital, pois... aqui é que a coisa ficou estranha.

A minha impressão digital não estava reconhecida no sistema. Tentei vários dedos e continuou tudo na mesma, até que o senhor me fez a pergunta que nunca pensei ouvir em tom sério, "A menina tem a certeza que é a Raquel Almeida?".

Na minha cabeça, esta foi a resposta... "Não, eu roubei esse papel de levantamento de uma caixa de correio qualquer, que calhou ser minha sósia e se reparar bem na foto que me tiraram, não deveria meter-se comigo dessa maneira!".

Mas não... fiquei pelo olhar de parva sem uma palavra. O homem lá tentou outra vez e o sistema reconheceu.

...

Ainda hoje tenho dúvidas sobre a minha identidade graças a esta experiência.

 

Finanças

Eu só queria um papel pequenino que dissesse que eu não tinha feito o IRS nesse ano, mas 4 horas não chegaram. Lá me coloquei na fila às 7h30 da manhã e já via a coisa a correr mal. Lá para as 8h15 entrei e fiquei à espera até 10h... Fui chamada e a AVE RARA da funcionária não sabia o que eu estava a pedir e primeiro que arranjasse alguém que a pudesse esclarecer foi um inferno. 

Ora ia uma fumar, ora ia tomar café porque como diz "Também precisamos de esticar as pernas."! 10h40 e lá conseguiu perceber que afinal o que eu queria era muito fácil. Fez o pedido e fui pagar à tesouraria. 8.70€ e paguei com uma nota de 10€... não havia troco... "Se calhar deve passar cá amanhã."...

Eu com muita calma disse "Fique-me com a porcaria dos 10€ e deixe-me ir embora por favor.", resposta "Vai ter de esperar para a minha colega a chamar outra vez." (GRITAVA JÁ EU INTERNAMENTE!)

11h nada... 11h20, mais um cigarro da funcionária... 11h30 chama-me. Aquela abécula não sabia onde meteu o papel! Lá foi mais uns minutos a olhar para aquilo que me levaria para a prisão. 

11h45 saí com o papel e sem espírito para continuar o resto do dia.

...

Cheguei a casa e era o papel errado... Dia seguinte já nem sei como funcionei...

 

A Hipster Chique

 

 

 

 

#dia 89 - Pegas... não os pássaros!

Abril 13, 2017

AVISO: este post é um descarregar de más energias e não deve ser levado de forma insultuosa, apenas ás vezes é necessário exprimir a raiva de uma forma saudável, como aqui no blog. Amanhã voltarei aos posts mais normais da Hipster Chique.

 

Se forem pesquisar ao dicionário a palavra "pega" há uma imensidão de significados, um pássaro comum do Norte de Portugal, uma mulher considerada feia, uma prostituta, uma pessoa faladora, pessoa que não se lembra onde põe as coisas, cavalo de duas cores e penso que a última esclarece tudo sobre o significado desta palavra.

A questão é que para mim a palavra "pega" tem um significado simples, pois apenas o uso para uma coisa... descrever alguém que me dá tanto nos nervos que imagina-la desfigurada com um sapato enfiado no rabo é o mínimo que lhe desejo.

Contundo as pegas dividem-se em pequenos grupos na sociedade e eu vejo-as, infelizmente...

 

Sem cérebro

Neste grupo encontram-se aquelas que não distinguem um frigorífico de um carro. Montam em tudo o que mexe e matemática só mesmo o número de seguidores do Instagram e mesmo assim.

 

Com cérebro

Aquelas criaturas que andam pela Terra e que para além de conseguirem distinguir um frigorífico de um carro, também vem acompanhadas com o poder de distinguir homem pobre de homem rico. Números só mesmo o da conta bancária alheia.

 

Tímida

Este tipo é aquele que passa despercebido nos radares. Ninguém diz que é má pessoa e passa por santa. A questão é que quando soltam a franga, SOLTAM A FRANGA! Menina de coro da igreja durante o dia e filha de Satanás durante a noite.

 

Sem Vergonha

É pega, tem fama, assume e tem proveito. Não há vergonha na cara, que isso só mesmo para o pombo que me cagou na cabeça (sim, continuo sem esquecer (Eu vou-te encontrar!!)). Fazem a m*rda toda pela frente.

 

Venenosa

Aquela que usa outro alguém para alcançar um fim. Não pode ouvir nada, que cria logo um filme de terror para a pessoa. Porém este tipo de pega costuma dar-se mal, e como qualquer cobra, morre com o seu próprio veneno.

 

Aberta

Esta pega, é quase um dos significados referidos no inicio, prostituta. A diferença é, não leva dinheiro. É alguém que quando vê algo mexer abre as pernas, tipo porta automática de centro comercial.

 

A "Rainha"

A que me fez fazer este post... Engloba tudo o que falei até agora e se lhe nascer um pessegueiro no rim esquerdo e silvas no esófago eu sei que o vudu funcionou.

 

Obrigada, sinto-me melhor e amanhã voltarei mais calma e com melhores perspectivas.

 

A Hipster Chique 

 

 

 

 

#dia 88 - Criação de um post

Abril 12, 2017

Ainda me sinto um pouco doente e com lâminas de barbear entaladas na garganta, mas muito mais capaz para dar atenção ao meu bebé blog. Logo, a Hipster Chique está de volta após umas horas de senilidade a meio gás. 

Desta cabeça a meio gás saiu a ideia de vos contar como é o processo de criação de um post aqui para o blog. Não que haja um ritual muito elaborado ou algo super profissional, apenas preciso procurar no fundo da minha mente por assuntos que são importantes para a sociedade. De certo muito mais importantes que os tweets do Trump...

Bloco de notas, lápis nº2 e...

 

Sem apontamentos

Costuma apontar algumas ideias num bloco de notas durante os dias e às vezes isso ajuda-me a decidir como escrever um post, mas quando há numa ideia em arquivo, que é o que acontece na maioria das vezes, a cabeça é que tem de fazer o trabalho todo.

Sento-me ao computador com o bloco de notas vazio...

"Devia ir fazer chichi, já não faço há quantas horas?"

"Foca-te!"

"Vou escrever sobre séries. Não, já o fiz."

"Talvez escrever sobre comida."
"Já sei, vou fazer brownies!"

...

 

2 Horas Depois

Nunca é simples, nunca é sentar e escrever. Há pausas e longas, normalmente para comer ou dormir, mas pronto. 

"Estou de volta e pronta."
"Que tal escrever sobre vacas?"

"Porque é que acordei tão cedo hoje?"

"Tenho dois trabalhos da faculdad... Era para entregar há duas semanas??!"

 

Perdida

Mais uma vez, perdida. Nada se escreveu, apenas o dia, mas de resto tudo continua igual. Estou numa fase que o Google e o Pinterest tem de me ajudar. Vou ao feed do Pinterest procurar ajuda e de repente estou a comprar canecas do Harry Potter na Amazon e máscaras de beleza feitas de algas.

"Vou escrever sobre beleza. Talvez como manter o mindinho limpo."
"A minha cabeça está toda podre."

"Quem anda pela casa com cascos de cavalo nos pés?"

"Olha, o vizinho a estender cuecas. Aquilo são cuecas amarelas? Hahaha."

 

Solução

Tudo se resume a ideias perdidas, mas quando não há muito a fazer...

"Porque custa tanto pensar num tema para escrever?"

"É assim tão difícil?"

"Já sei. O pastor matou a melga, não a vaca!"

"Como é que eu chego aos temas dos posts?"

"Epifania! Vou escrever sobre como crio um post."

"#dia 87, não, é 88, Criação de um post. Com ou sem ponto de exclamação? Sem. Escrevi ciração, credo. Criação."

"Se adopta-se um porco ia chama-lo de Dog!"

"A Hipster Chique"

"Publicar"

 

A Hipster Chique

 

#dia 87 - A preparar o meu testamento...

Abril 11, 2017

out-order-sign-vector-illustration-35759419.jpg

 

Ontem à noite fui dormir e hoje acordei com dores de garganta e uma dor pelo corpo todo. A minha questão é, como é que esta coisa aconteceu??

Teorias da conspiração acreditam que talvez durante o meu sono sonhei demasiado com o Frozen ou entrei num filme de Velocidade Furiosa e fui atropelada enquanto levei com uma brisa gelada...

Ou talvez tenha apanhado com demasiado sol na cabeça ontem à tarde.

 

De qualquer maneira a teoria da conspiração tem mais lógica para mim, mas também não estou em condições de decidir o que realmente me aconteceu. Descanso, líquidos, medicamentos e preparação de testamento é o máximo que consigo realizar.

 

A Hipster Chique volta assim que se sentir melhor.

 

ANDO A LER

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D