Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

Dom | 23.07.17

O Sítio . Capítulo XV

CAPÍTULO XIV

 

 

CAPÍTULO, O DÉCIMO QUINTO

 

 

 

"Já temos a mãe e o possível pai, só nos falta saber quem é a cria.", disse.

"Isso e como lhe vamos contar que a sua mãe lhe meteu o nome de Mostarda Antiga, ninguém merece, não é nome de gente.", disse o Hugo.

 

Continuamos a nossa reunião que parecia não ter fim nem lógica. Como íamos nós, 4 jovens de 17 e 18 anos entrar numa base secreta de uma agência que ninguém conhece com um reforço de segurança fora do normal?

Tínhamos de pensar bem no que estávamos a fazer, porque mesmo com a Ema e o Vasco, que já foram agentes da O.P.I.M. do nosso lado, iria ser quase impossível do nosso grupo S.A.I.D.A.S, lá entrar e trazer dois prisioneiros sem sermos vistos.

Concordámos que cada um elabora-se um plano para ser apresentado no dia seguinte. O Vasco e Hugo foram embora e a Ema ficou por cá.

 

De repente o meu telemóvel toca e era uma notificação do Facwitter com uma proposta de amizade do Barry, que aceitei imediatamente e uma mensagem...

"Hey, eu sou o Barry, onde se lê o "y", lembras-te? Ahahah xD

Encontrei-te por aqui e queria saber se estavas interessada em tomar um café, ou sumo ou algo líquido... bebidas digo, não alcoólicas?! Certo? Achei-te simpática e gostava de te conhecer melhor, mesmo tendo de confessar que dizer o teu nome sem "y" é um bocado estranho... mas eu gosto de estranho. Isto está a ficar longo... de qualquer maneira possível e um bando de pássaros... e não estou a fazer lógica nenhuma.

Bem, estarei no café do Xavier à tua espera, às 20h30. Espero que apareças. Mais uma vez, é o Barry. Isto aparece o meu nome não aparece? 345befuiawlnc..sd,f~"

 

"Oh meu deus, ele teve uma convulsão a escrever isso ou foi atacado pelo bando de patos.", disse a Ema que ficou a espreitar a minha mensagem.

"Pássaros! E isso é ser cusca.", respondi.

"Cusca?! Vá lá, tens de ir ter com ele. Ele parece muito fixe e boa pessoa. E o Tobias não te merece a ti nem a tua atenção.", disse a Ema.

"O Tobias? Não sei do que falas.", disse eu numa tentativa falhada de esconder os meus sentimentos.

"Toda a gente percebeu Jess. Anda lá, vai! Ele é tão giro e não parece ter doenças. Vais?", disse a Ema.

"Tens razão, vou. E já agora, tu não podes perceber se uma pessoa tem doenças só de olhar para ela.", disse.

Fomos jantar e a Ema ajudou-me a escolher uma roupa para o meu encontro casual e tivemos a escolher algo entre rameira e Maria Madalena, que para mim era a mesma coisa. Ainda entramos numa discussão sobre soutiens airbag ou BagBoobs que eram a última moda cá no Sítio de que eu não era fã, não sei como gostavam de usar um soutien que dá mamas falsas como um airbag assim que lhe derem chapadas. Demasiado doloroso, fisicamente e visualmente.

Estava pronta para o meu encontro casual e assim que cheguei ao café do Xavier vi o Barry na esplanada e fui ter com ele...

 

"Olá Barry...", disse.

"Jessyca, vieste! Pensei que depois daquela mensagem te tivesse assustado. Eu não tenho muito jeito para falar com pessoas.", disse o Barry.

"Bem, assustada ou não eu apareci. Faz-me bem sair e conhecer pessoas novas, tenho passado por uns momentos complicados de que não quero falar.", respondi e meti bastante entoação no "não quero falar".

"Tu saíste e eu sou uma pessoa nova. Parece estar a funcionar! Queres beber alguma coisa? Café, água, sumo?", perguntou o Barry.

"Eu vou lá dentro pedir, preciso de perguntar uma coisa ao Xavier, o dono do café.", disse, dirigindo-me para o balcão no interior do pitoresco café do Xavier.

 

Ia perguntar-lhe algumas informações sobre o Dr. Rato, algo que ele tivesse notado de estranho mas antes que pudesse dizer uma palavra, alguém chamou por mim e a voz era bem familiar...

"Jessyca, por aqui?"... era o Tobias, que não podia vir em melhor altura.

"Tobias, olá. Sim por aqui.", resmunguei.

"Podemos falar? Tentei falar contigo na escola, mas não te encontrei sozinha.", disse o Tobias.

"Sozinha? Para quê? Para me levares para uma das tuas queridas masmorras e me prenderes? Não!", depois de dizer estas palavras, o meu cérebro arrependeu-se no segundo imediato.

"Por favor, é importante! Vocês não sabem tudo. Deixa-me falar contigo.", implorou o Tobias.

"Não. Acabou, pensei que já sabia tudo, enganaste-me mais que uma vez. E estou acompanhada, estou aqui com o Barry, lê-se o "y" e tudo.", até hoje não sei porque disse tal coisa.

"Barry, Bartolomeu Querido!? Boa. Ainda bem. Eu tentei. Se mudares de ideias tu sabes como me contactar.", disse o Tobias, seguindo o seu caminho.

 

Fiquei um pouco frustrada, mas tinha de deixar de pensar e apenas focar-me nesta noite bonita com uma óptima companhia. Pedi a minha bebida e perguntei ao Xavier informações sobre o Dr. Rato, mas ele pouco ou nada sabia, apenas que era um homem desconfiado e fazia uns barulhos estranhos no quarto.

Voltei para a mesa...

"Bem, já tenho aqui a minha bebida. Onde íamos?", disse.

"Podias dizer-me o que se faz aqui no Sítio para diversão da nossa gente mais jovem.", disse o Barry.

"Pois, não temos muita escolha. Costumamos reunir nas nossas garagens e fazemos convívios com música e bebida e algumas vezes a música até é ao vivo. Costumamos improvisar músicas dos Pingos Soltos, uma banda cá da terra. Tens hits como "Romaria à casa do cavalo", "Levitar um porco no churrasco" e a minha preferida "Gonorreia e Alegria". Ou apenas viemos beber aqui uns copos ao Xavier.", disse.

"Parece divertido. Gonorreia e Alegria? É uma música de que género?", perguntou o Barry.

"Rock, mas com um toque electro. Vou pôr um pouco para ouvires.", disse eu enquanto colocava a música a dar no meu Blorify.

 

"Hoje é dia de festa aqui nas bandas,

E eu só penso em ti,

Desde aquela noite nos aviários,

Que o amor por ti é uma agoniaaaa, 

Por causa da...

Gonorreia e alegriaaaa...

Que sintoooo...

Cá dentro ardeeeee.....

Mas estamos juntosss....

Para sempreeee....

Na gonorreia e alegria!"

 

"E agora entra o electro. Mas gostas-te do que ouviste?", perguntei.

"Sim. Essa música é fogo e tem uma letra muito ardente! Um dia tens de me convidar para essas festas de garagem.", disse o Barry.

A conversa continuou e eu fartei-me de rir. O Barry era uma boa companhia e para além de ainda estar com o Tobias a atormentar o meu pensamento, ele conseguiu distrair-me por um momento.

 

"Já está a ficar tarde, talvez seja melhor ir pagar e ir embora. Estou um pouco cansada e amanhã temos aulas.", disse.

"Tens razão. Mas deixa estar que eu pago. Pagas para a próxima! Conta!", disse o Barry que levantou o braço para fazer sinal ao Xavier e foi quando vi que ele tinha uma tatuagem no pulso e não era uma tatuagem qualquer... era uma tatuagem em forma de ovo de galinha rachado.

Eu tinha visto a mesma tatuagem no pulso do Tobias no jogo dos Galetas... seria coincidência?

O Barry foi pagar e seguiu para sua casa, não tive coragem de lhe perguntar o que era aquela tatuagem. Eu fui para casa o mais rápido que pude e assim que cheguei fui ter com a Ema...

"Ema, preciso de saber uma coisa urgentemente!", disse eu quase sem ar de ter ido para casa a correr.

"Respira Jess. Que se passa? Correu bem o encontro?", perguntou a Ema.

"Correu, mas não é isso. Sabes o que quer dizer a tatuagem que o Tobias tem no pulso? O ovo de galinha rachado?", perguntei.

"Não, ele nunca me contou. Porquê? Tu viste o Tobias também?", perguntou a Ema confusa.

"Vi, mas isso não importa. O Barry tem uma tatuagem igual no pulso. Um ovo rachado!", disse.

"Talvez tenha sido moda em alguma altura e ambos fizeram. Pode ser uma coincidência. Não penses nisso. Conta-me mas é o encontro.", disse a Ema.

 

Eu resisti a início, mas lá lhe contei como correu o encontro, como o Barry era giro e ainda ouvimos umas músicas.

Acabamos a conversa e eu fui para o meu quarto... mas não parava de pensar como era de se esperar. Era muito estranho ser uma coincidência e o Tobias até sabia o nome todo do Barry, talvez porque ouviu na aula, mas eu não conseguia esquecer. 

Tinha de fazer um esforço para esquecer, tinha de começar a pensar no meu plano para mostrar amanhã na reunião e tinha de fazer os trabalhos de casa.

 

Mas o que era aquela tatuagem e o que significa um ovo de galinha rachado?

 

 

CAPÍTULO XVI

 

O SÍTIO.jpg

 

(Esta é uma série que já faz parte do blog d'A Hipster Chique há algum tempo e aqui está o décimo quinto capítulo. Link dos restantes capítulos no inicio.) 

11 comentários

Comentar post