Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

Sex | 21.04.17

O Sítio . Capítulo III

CAPÍTULO II

 

CAPÍTULO, O TERCEIRO

 

Uma silhueta moveu-se para a luz...

 

De olhos verdes e cabelo que com certeza apanhou com 40 ventoinhas antes de sair de casa, lá estava ele, Tobias Pássaros Custódia, no meu quarto, calado a olhar para mim. 

"Que se passou? Que estás aqui a fazer? Como vim aqui parar?", perguntei eu um pouco em desespero e um pouco em choque com a pergunta que mais me incomodava a mente... "Como raio é que ele meteu o cabelo assim??".

Ele deu um passo em frente e olhou-me nos olhos, sentou-se na cadeira perto da minha cama e disse, "Está tudo bem agora. O meu nome é Tobias, mas tu podes tratar-me por... To...Tobias. Desmaias-te à porta de minha casa. Trouxe-te para aqui. Descansa agora.".

Algo não estava bem e continuava sem saber que luz azul brilhante e zumbido foram aqueles dentro do terreno da Mansão Custódia.

"Eu vi uma luz e o barulho era tanto. Como sabias onde morava? Porque não chamaste ninguém?", continuava eu na minha luta em busca de respostas. A cara do Tobias mudou, apresentava agora uma cara séria e até um pouco assustadora. 

"Não sei do que falas e se fosse a ti, parava de fazer perguntas.", respondeu Tobias caminhando em direcção para a janela do meu quarto e saindo sem demoras.

Ainda em choque com tudo o que se passou e com muitas perguntas, mandei mensagem ao Hugo para ele vir ter comigo rapidamente a minha casa. Primeiro a Princesa Maionese, depois a Mansão Custódia e agora o comportamento estranho do Tobias... Que se estaria a passar no Sítio?

 

Assim que o Hugo chegou eu contei-lhe o que se tinha passado comigo, do momento que tive com o Tobias e do cabelo do mesmo. Assustado mas desconfiado, o Hugo achou que devíamos descansar e falar melhor no dia seguinte. Até porque a minha mãe estava um pouco irritada e havia discussão lá em casa, mais uma vez o meu pai comprou-lhe chouriços de pombo e não de ornitorrinco. Era sempre a mesma coisa desde que a carne de porco e vaca deixaram de ser comercializadas.

Fui dormir...

 

Na manhã seguinte ainda me sentia um pouco tonta mas estava pronta para mais um dia de aulas. Tomei banho, comi o pequeno-almoço e o Hugo já estava à minha espera no portão de casa. Enquanto íamos para a escola ele mostrou-me um link de um web site chamado "Website Estranho" que fala de acontecimentos sobrenaturais que os governos e organizações mundiais tentam abafar, pelo menos é o que diz um tal de Dr. Rato. Tirámos o contacto e decidimos mandar um email no fim das aulas.

Na primeira aula que tivemos reparei na ausência da vaca amestrada Carolina Banana, do psicopata Tobias e de mais duas colegas, o que era estranho, visto nunca faltarem. O dia prosseguiu sem problemas e no fim das aulas reuni-me com o Hugo nas escadas da escola. Mandamos então um email para o Dr. Rato...

 

"Para: drrato_pussy65@websiteestranho.com

 De: jessycajessica_nseleoy@sitiosa.com

 

Boa tarde Dr. Rato,

somos habitantes do Sítio e estudantes do ensino secundário. Vimos no seu web site que retrata acontecimentos sobrenaturais ou estranhos que costumam ser afastados do conhecimento público por forças superiores. 

Algo de estranho se anda a passar aqui no Sítio, ontem recebemos um contacto com algo desconhecido, uma tal de Princesa Maionese que estava representada por uma sombra de algo parecido com um animal. Dizia que lhe tinha sido retirada a sua cria há 17 anos atrás e que tínhamos 4 dias para a devolver. Até ao aparecimento da cria ela iria lançar uma maldição por dia, coisa que ainda não se veio a comprovar. Todos os livros com a palavra Maionese desapareceram da nossa biblioteca.

Tem conhecimento de algo parecido que já tenha acontecido? Será que nos pode ajudar?

 

Atenciosamente,

Jessyca Jessica (não se lê o "y")"

 

"Espero que ele nos possa ajudar. Algo de muito estranho se está a passar neste Sítio.", disse o Hugo.

"Tens razão. Precisamos estar alerta. E acho que devíamos começar pela Mansão Custódia. Algo de muito estranho se está a passar naquele terreno. Devíamos ir lá ver.", disse eu com uma certa quantidade de heroísmo.

O Hugo concordou e lá fomos nós, numa missão de investigação à temível mansão da Rua Principal, a Mansão Custódia.

 

Assim que chegamos tentamos ver se havia gente em casa, tocámos à campainha e tínhamos a desculpa perfeita, mas ninguém atendeu e como não havia carros na entrada o Hugo levou-nos a um local nas traseiras onde se encontrava um rasgão na vedação. Entrámos no terreno e imediatamente comecei a ouvir o mesmo zumbido do dia anterior, vinha de um barracão colocado no meio do campo de silvas. A curiosidade era muita e lá fomos nós em direcção ao barracão e assim que chegamos espreitei por um buraco que havia na madeira.

 

O zumbido intensificava-se e lá dentro estava...

 

CAPÍTULO IV    

 

O SÍTIO.jpg

  

(Esta é uma série que comecei a escrever há pouco tempo e aqui está o terceiro capítulo. Link do primeiro e segundo capítulos no inicio. Hei-de escrever todas as semanas, mas caso tenham sugestões para esta minha pequena história, por favor, contribuam, com pequenas ideias, capítulos, entre outros. Escrevam comigo ou deixem-me escrever para vocês, que acham?!)

10 comentários

Comentar post