Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

Ter | 29.08.17

#dia 227 - Game Of Thrones, o recap

Hoje temos convidada de escrita no meu blog. Eu não ando numa boa fase para dar atenção aqui ao meu menino, por isso, até eu voltar vou fazendo algo diferente e hoje calhou uma pequena recap da 7ª temporada de Game Of Thrones vista aos olhos de uma amiga minha.

Aqui vai então as palavras (pouco) sábias de Sara Almeida...

 

 

"Chegamos finalmente aquele momento épico da vida de grande parte dos terrestres, aquele momento de transformação e corte com a vida passada.

Não não estou a falar da maturidade, estou a falar de algo muito mais complexo que transcende quaisquer outras questões existênciais e humanas.

Chegámos então ao fim de mais uma temporada épica de Game of Thrones.

"Épica" parece-me a palavra certa por transmitir um certo mistério, vida boémia, medieval, grandiosidade e beleza a uma série que se assume com essas mesmas definições.

O que dizer então destes 7 episódios, da 7ª temporada? Tanta coisa, mas o meu tempo de antena é pouco. Vou seguir a moda e deixar um resumo.

 

A primeira coisa a apontar com todo o mérito, e digam o que disserem das cenas, dos diálogos, da coerência ou não coerência da história como pais darem o nome de Aegon aos dois filhos, da previsibilidade dos episódios finais, do desnecessário de algumas cenas (tendo em conta que saber quantos poros de pêlo de barba tem o Ed Sheeran através daqueles zooms de camera e cantigas sem nexo para encher os bolsos a quem já os tem rotos de tanto enchimento, não é bem o foco da série), mas digam o que disserem os efeitos especiais desta série foram de outro mundo.

Sim eles precisam de um orçamento gigante até porque mesmo pagando o ordenado mínimo a cada personagem, vocês já viram os milhares que são os caminhantes brancos?

 

Mas ordenados à parte, o investimento foi muitissimo bem empregue. Cenas realistas ao máximo, batalhas de fazer chorar com a beleza de como foram feitas, com uma banda sonora de cortar a respiração, cenários e construção de cenas, angulos, realização, sem mais palavras BRILHANTE. São todas estas coisas que fazem o vosso coração explodir, ou a vossa respiração suster. São as artes todas numa série onde cada parte da mesma fizeram, e fazem do todo, uma das melhores séries alguma vez realizadas.

Em relação aos episódios tivemos uma construção brutal da história, muito bem organizada com todos os episódios com um objectivo bem definido. Fossem 50minutos de diálogo e preparação de acção, ou 50minutos de batalhas epicas, tudo estava no sitio certo.

 

As questões da timeline por outro lado merecem algumas observações, porque se nas temporadas anteriores até um arroto da Cersei era representado ao pormenor, nesta temporada nem houve tempo para comer.

Desconheço as razões que os levaram a acelerar, fosse por ser a penultima temporada, ou por terem muita história e poucos episódios. Desconheço. Mas sei que quando aceleram cenas ha muita coisa que se perde, nomeadamente as relações. Não vamos esquecer que relações bem menos importantes para a história, ou as quase orgias romanas, e cenas de prostituição foram representadas quase ao pormenor do osso (literalmente).

 

Falo então especificamente da relação que sobressaiu nesta temporada, o incesto universalmente mais aceite, entre Jon e Daenerys.

E concluimos portanto que Jon Snow "really knows something", quanto mais não seja atrair mulheres de pulso firme, e passar em poucos dias da Friendzone para a Lovezone. Mas mesmo que seja para matar um deles no fim, ou para ficarem juntos para sempre, a verdade é que a história merecia uma transição muito melhor e especialmente sem o Bran (corvo dos olhos tortos para mim) a narrar a cena. Desta forma poderiam ter levado o público a perceber a intensidade de uma relação que obviamente ainda vai deixar correr muitas "águas" (sim porque de certo a Kalessi ficará grávida).

 

Sem dúvida que toda a equipa que está por detrás deste fenómeno está de parabéns. Apesar de ausência das tão famosas mortes inesperadas, e reviravoltas surpreendentes, cenas chocantes, a verdade é que já estamos a chegar ao final. E não podemos esperar sempre emoções iguais às que tivemos noutras temporadas. Afinal de contas estamos a falar de uma série que muda a cada temporada.

 

E podem dizer que o final foi previsivel. Mas sabem uma coisa? Aposto que ninguém esperava uma coisa previsivel. E meus caros, ai reside mais uma vez a imprevisibilidade desta série que não se deixa reger pelos contos de fada, ou finais bonitos. Mas sim, que capta a atenção de todos os nossos sentidos, e mostra que a arte é mágica, mas também humana.

E leva-nos atrelados até aos confins de Westeros, fazendo de cada personagem uma personagem das nossas vidas.

 

Até breve."

 

68OoBixm5YfKRQvdahh1CPdts2N.jpg

 

P.S. Muito obrigada pela ajuda e pela escrita, Sara Maria.

 

A Hipster Chique

12 comentários

Comentar post