Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

Qui | 25.05.17

#dia 131 - Quatro! Quatro da manhã!!

O que quero dizer quando escrevo no título "quatro da manhã"? Pode ser as horas a que me deito ou as horas a que vou mandar a cadela pela janela.

Pista: é a segunda opção!

Eu primeiro deixem-me lembrar o animal em questão:

evYTIYnB.jpg

Fofinha e com cara de anjinho, certo? ERRADO!

 

Eu sou um pouco a dona adoptiva e durante esta semana esta coisinha, chamada Kika aka Gremlin, está um pouco à minha responsabilidade e na segunda noite começou a tornar difícil a tarefa de a entregar são e salva à dona.

Porquê? Boa pergunta.

 

Podemos começar pelo simples facto de lhe ter preparado uma cama de almofadas, toda fofa no chão e mesmo assim as MINHAS almofadas lhe parecerem muito mais apelativas. Eu saio do quarto por 30 segundos e ela aterra nas minhas almofadas, o sítio onde deito a minha cabeça.

O que até poderia ser algo querido de se ver, por vezes apenas é estranho. Por exemplo:

vAYUHGu8.jpg

E isto foi assim durante 3 horas! Nesta posição SUPER confortável, a roncar e a rosnar-me cada vez que tentava retira-la dali ou ajeitar uma almofada.

E agora acabo com o tema principal, as quatro da manhã!

 

Na segunda noite estava eu a dormir um sono tão bom, tão confortável e como estava calor o meu corpo decidiu apenas usar uns calções e um mini top, o que deixou muita pele à mostra. E isto é informação importante porque às quatro da manhã eu sinto algo a subir para a minha cama e a fazer-me uma esfoliação desde a palma do pé até à minha cara. Como é óbvio não estava a sonhar que o Grant Gustin estava a fazer uma tentativa de termos uma noite de amor ardente, não, era a cadela!

Eu virei a cara, ainda em negação e senti umas patinhas pequeninas nas minhas costas e outra vez uma língua na face. Ao mesmo tempo sentia um pequeno vento no rabo feito pela cauda peluda da bicha.

Assim que olhei para ela estava aquela coisinha a abanar a cauda, com o peluche roto na boca e doida por atenção e brincadeira... ÀS QUATRO DA MANHÃ!!

 

Levou com um grito e nada. Meti a cadela na cama dela e tornou a subir, isto durante três vezes seguidas. Dei outro grito. Lá ficou e eu a pensar que podia dormir em paz... ingenuidade no seu máximo!

Estava eu a tentar entrar na terra dos sonhos outra vez e começo a ouvir um barulho estranho, olhei para o fundo da cama e era o gremlin com a patas na cama a tentar lamber os meus pés.

Desisti... brinquei uns 5 minutos e claro, trovoada! E a cadela como é óbvio teve de rosnar para a trovoada e ali fiquei eu sentada a olhar para um animal enfurecido com a meteorologia. Adormeci uma hora depois e quando acordei adivinhem quem não quis ir à rua às oito da manhã porque estava a dormir ferrada?? Não eu...

 

Foi mais uma vez que ela realizou o truque "finge de morta" porque não queria ir à rua porque dormir é melhor.

 

A Hipster Chique

25 comentários

Comentar post

Pág. 1/2