Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

Seg | 22.05.17

#dia 128 - A arte do sono

Ainda no último post falei desta pequenina maravilha chamada "dormir", a acção de fechar os olhos e deixar-se levar para um mundo de sonhos ou um mundo de baba.

Penso nunca ter ouvido ninguém dizer que não gosta de dormir e se esse tipo de pessoas existem eu não quero estar no mesmo local que elas. Mas gostando ou não todos nós o fazemos e ás vezes há com cada um...

 

"I see dead people" 

("Eu vejo pessoas mortas" - Sexto Sentido)

Quando as pessoas resolvem brincar ao "vou fingir que estou num caixão" e o sono fica estranho... Seja em que local for, quando estão a dormir este tipo de pessoas podiam bem passar por falecidas. Nunca sabemos de havemos de acordar ou ver se tem pulso. São estas que também imitam por vezes múmias e conseguem acordar tal e qual na minha posição como adormeceram.

 

 

"This is the way the world ends, not with a bang but a snore"

("É assim que o mundo acaba, não com um bang mas com um ronco" - parafrasear T.S. Eliot)

Achas que o vizinho está a matar codornizes mas afinal é o teu colega de casa que decidiu acordar o planeta Terra com o seu maravilhoso roncar. Sei que não dá para controlar, mas há pessoas que fazem inveja a desastres naturais. Qual katrina?! Sinto que se mudar de código postal ainda vou ouvir tal ruído.

 

 

“They can take our lives, but they can never take our freedom... to sleep everywhere"

("Eles podem tirar as nossas vidas, mas nunca poderão tirar a nossa liberdade... de dormir em qualquer lado" - parafrasear Braveheart - O Desafio do Guerreiro)

Há aquele pequeno conjunto de pessoas que consegue dormir em qualquer lado, mas tem uma certa tendência para os locais mais desconfortáveis de sempre e dormem sempre profundamente. É que é no autocarro, no avião, contra a parede, em cima do candeeiro, tudo! E o melhor de tudo é que são capazes de acordar e não sentir uma pequena dor. Não sei como o pescoço não parte, eu basta encostar a cabeça na almofada e bang, tendinite no ombro.

 

 

"I'll be back"

("Eu voltarei" - O Extreminador Implacável)

Nesta categoria vão os campeões do Snooze, ou seja, pessoas incapacitadas de acordar de manhã, ou seja, eu. Digamos que preciso de acordar às 7 horas da manhã, o que requer minutos de atenção para contas matemáticas de quantas horas preciso dormir para o meu cérebro não ignorar o despertador, 7 a 10 despertadores separados por minutos (ex: 6h30 / 6h35 / 6h40 / 6h45 / 6h50 / 6h55 ...), mensagens motivadoras em cada despertador, tais como "Levanta-te animal, sabes que a galinha é responsável por acordar os restante", "Acorda que ninguém te mandou fazer binge-watching do Sponge Bob" e de manhã tudo começa...

Toca uma vez .. Snooze

(mais 3 minutos...)

Toca outra vez .. Snooze

(mais 4 minutos...)

Toca outra vez!! .. Snooze

(mais vale desistires da vida...)

A esperança estúpida que o meu telemóvel deposita em mim de que vou acordar depois de 3 minutos de snooze é ridícula.

 

 

“What an excellent day for an exorcism”

("Que dia excelente para um exorcismo" - O Exorcista)

Dormir faz-se deitado, por norma, mas ninguém falou que tinha de ser algo feito em sossego. Há quem vá pela imitação da estrela do mar bêbeda (EU), pela galinha que acabou de ter a sua cabeça cortada mas ainda quer soltar uma última franga e depois temos a mais perturbadora, possessão maligna (confesso que também EU). E podem estar com um sono profundo na mesma que nada incomoda, dormir é dormir, sem discriminações.

 

Boa noite e bons sonhos.

 

A Hipster Chique

 

23 comentários

Comentar post