Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

Sab | 23.09.17

#dia 252 - O mundo da arte

Bem, o mundo não acabou e eu por aqui continuo, logo parece que vamos ter de continuar nesta nossa aventura chamada vida e tudo a partir daqui, neste post, pode soar ofensivo para pessoas que apreciam arte, como pintura e escultura. Estão avisados!

 

Eu não sei apreciar arte como deve ser, pronto, já disse! Não percebo a lógica de passar horas a olhar para um quadro ou escultura e interpretar a dor ou amor do pintor/escultor, as curvas, a luz, os tipos de materiais usados. Não dá! Admiro MUITO quem aprecia e consegue ver algo para além de uma tela numa parede.

Se gosto de um quadro, é pelas cores e outros detalhes, que em nada fariam uma boa crítica da obra. Fui a um museu recentemente e como não fui com uma veia de apreciadora, isto foi o que retirei da minha experiência...

 

 

  • Arte muito mais que abstracta... um pedaço de metal dobrado no chão e um tubo de esgoto limpo colocado ao alto, para mim não é arte, para mim é um pedaço de metal dobrado no chão e um tubo de esgoto limpo colocado ao alto ou apenas desnecessário.

 

  • Demonstrações de como eram as nudes antigamente... tanta nudez! Tanto corpo nu. Claro que o corpo humano tem a sua arte e talvez aquela que eu reconheço mais valor. Agora, são umas porcas badalhocas que mostraram a passarinha a um qualquer para serem desenhadas com os púbicos tortos e o que me parecia em alguns quadros, três mamas. Feminismo uma ova!

 

  • Roubos... a um jardim infantil ou turma de Educação Visual de uma escola EB 2/3. Eu vi quadros que pareciam rabiscos de meninos da creche, figuras geométricas que iguais ás que realizei na aula de Educação Visual. No Paint eu fiz coisas tão bonitas em vez de estar atenta às aulas que hoje vejo que poderiam ser obras de arte.

 

  • WTF... literalmente, wtf! Dei com dois quadros com as seguintes características, uma tela toda preta provavelmente tirada da loja do chinês e colocada ali e uma tela branca com a seguinte inscrição no meio "The content of this painting is invisible; the character and dimension of the content are to be kept permanently secure, known only to the artist.", obras de Joseph Kosuth. Falo de obras vendidas por milhares de euros, de algo que a minha impressora consegue fazer em menos de 10 segundos.

 

A arte não foi feita para eu apreciar... até levei um olhar torto quando parei em frente a um quadro e fiquei a olhar para ele com cara de "Apetece-me comer um rissol" e a mulher do lado estava tão concentrada a olhar para uma tela toda preta que levou a mal a minha presença.

 

Entendendo ou não, vão a museus, visitem cultura e tentem aprender mais sobre coisas novas. Eu pelo menos tentei...

 

A Hipster Chique

 

Sex | 22.09.17

#dia 251 - Amanhã acaba o mundo

Parece que já não escapamos, o fim do mundo é já amanhã e caramba, ainda há tanta coisa que quero fazer e dizer. Eu achava que ia poder ver a premiere de Young Sheldon e os dramas de Grey's Anatomy. Quanto ao trabalho e o resto deixem para lá.

Já que é o fim do mundo eu tenho de planear bem o meu dia e pensando que irá acabar mesmo no fim do dia, porque desculpa lá, Nibiru, mas dá-me pelo menos umas 18h para meter tudo em ordem antes de bateres contra nós.

Vou então esquecer o que é suposto fazer amanhã e planear tudo de novo para um óptimo dia do juízo final.

 

  • Começo o dia cedo, porque tenho de aproveitar bem o dia. E esta é a última mentira da minha vida.

 

  • Durmo que nem uma estrela do mar bêbeda e atrofiada e acordo por volto das 11h ou 12h

 

  • Procuro uma galinha, chamo-lhe Rebecca 2.0, dou-lhe carinho, engordo-a e mato-a para fazer arroz de cabidela. O meu prato favorito tem de estar nos menus do último dia de vida

 

  • Vou até ao Starbucks e emborco tudo o que puder. Tartes de maça, muffins, lattes, cappuccinos, caramel machiattos e o barista todo jeitoso do Starbucks do El Corte Inglês

 

  • Ligo a todas as pegas, homem ou mulher, que alguma vez me fizeram mal e finalmente pronuncio o meu ódio em voz alta e admito que aqueles sentimentos de "parecia uma picada, mas passou", era eu com os vossos pequeninos e insignificantes bonequinhos de vudu

 

  • Vou ao banco, levanto o meu dinheiro todo e agarro na minha veia consumidora e faço uma rave no centro comercial mais próximo

 

  • Vejo os episódios favoritos de cada série que gosto, nada diferente do que actualmente faço, mas há tradições a manter, até no último dia de vida

 

  • Cometo a maior loucura que sempre quis cometer na vida e misturo Ice Tea de Pêssego com Seven Up e bebo tudo de penálti

 

  • Finalmente admitia a minha queda, crush, paixão pelo tal que nunca irei fazer de outra maneira

 

  • Vejo o filme Harry Potter e a Pedra Filosofal mesmo na última hora para ter uma entrada triunfal no possível inferno, porque a oportunidade do céu já se foi há muito

 

E o mundo acabou... Até amanhã!

 

A Hipster Chique

 

Sigam-me nas redes sociais, que eu lá mostro qualidade de conteúdo durante dois dias até me esquecer que as tenho.

Facebook: @ahispterchique

Twitter: @ahispterchique

Instagram: @ahipsterchique

Qui | 21.09.17

#dia 250 - 15/10

Dia 250... 250 dias a escrever todos os dias, algo que era comemorado com uma TAG de x perguntas, que neste caso até poderia ser 250, um bom desafio para mim e para vocês que teriam de ler tudo ao fim.

Mas não, hoje o dia é extra especial e é algo que já há algum tempo queria colocar aqui no blog. Estão a ver o título? Pois bem, apresento-vos a data do lançamento do meu livro "A Hipster Chique".

 

Dia 15 de Outubro, pelas 14h30 (Irei colocar aqui daqui a uns dias o convite em formato digital), em Lisboa, será lançado o que espero que seja o primeiro de muitos livros da minha autoria. Convido claro qualquer pessoa que queira ir, espalhem a palavra, apareçam, sejam fofinhos comigo.

Estou orgulhosa de mim mesma, pois é algo que sempre desejei e algo que posso riscar da minha bucket-list. Será um livro pequenino, com cerca de 150 páginas onde irão estar também reunidos vários textos aqui do blog, editados para livro.

Eu gosto de escrever e gosto de fazer os outros sorrir o que consegui com este pequeno cantinho e espero conseguir com o livro que chegar a muitas mais pessoas.

 

O dia é especial, mas o post não será muito longo. Esta semana foi complicada e estou um pouco cansada e a recuperar de uma pequena lesão na omoplata que ainda não está 100% curada. 

Este post para mim terá muitas palavras porque tem uma imagem que vale 1000, 2000, 3000 delas, vai ter a imagem da capa do meu livro. Espero que gostem e que continuem a ler e a comentar os meus delírios aqui no blog. Obrigada.

 

A Hipster Chique - capa.jpg

 

A Hipster Chique

 

Qua | 20.09.17

#dia 249 - Cansada mas feliz

Como o título indica, estou cansada mas bem.

A minha vida está às direita, a nível profissional nunca esteve tão bem, pessoal sinto-me bem e feliz, tenho amigos e família. Estou mesmo bem comigo mesma, mesmo com os maus dias que de vez em quando aparecem.

Mesmo com aqueles Apoios ao Cliente e vinte mil reclamações sobre incompetência, tudo parece estar a correr bem.

Hoje estou cansada, mas feliz. Não tenho muito tempo para dar a este blog, mas vou voltar e mais calma, porque isto tem sido um disparar de raiva.

Até uma hipster tem os seus altos e baixos e agora é tempo de aproveitar os altos.

 

Até amanhã

 

A Hipster Chique

Ter | 19.09.17

#dia 248 - 50 nomes que se dão... ao Apoio ao Cliente

Preparem-se, que eu hoje estou pior que a nova Taylor Swift!

Com este post vão perceber todo o "AMOR" que eu tenho para dar e vender ao Apoio ao Cliente. Seja Vodafone, MEO, NOS, correios, lojas de electrodomésticos.

Eles cutucaram a fera, a fera reagiu... logo, hoje a nova rubrica deste blog traz os 50 nomes ou frases que se dão ao Apoio ao Cliente.

Caso tenham sugestões para as próximas semanas, deixem-nas nos comentários.

 

 

1. Apoio ao Cliente

2. Cabine do Terror

3. Bandidos

4. Câmara de Tortura

5. Não vos quero ligar

6. Ódio à primeira Vista

7. Tira Paciências

8. Sugador de Almas

9. A Razão de eu estar presa

10. Mentirosos Compulsivos

11. Vadalhocos (com V)

12. Apoia Um Cú

13. Bando de Incompetentes

14. Inúteis

15. Calma para que te quero

16. Coisas Estúpidas

17. Dão-me diarreia

18. Pode esperar mais pouco, obrigada

19. Matador de telefones

20. Atendedores automáticos

21. Vingança vos espera

22. Contacto ineficaz

23. Serviço de Música Irritante

24. Vendedores de Mentiras

25. Serviços

26. Mais de 30 minutos

27. Dementors

28. Cabritas On-line

29. Desejo a todos Sífilis

30. Anti-Xanax

31. Chatos

32. Vou-te dar inquéritos

33. Mais um que vou enganar

34. P*ta que os pariu

35. Por favor, que seja a última vez

36. Sem respeito

37. Não servem para nada

38. Tele-Marketing

39. 3ª Guerra Mundial

40. Lord Voldemort

41. Não há nervos que aguentem

42. Conspiração contra o cliente

43. Atendimento Telefónico

44. Jagunços

45. Tirem-me daqui

46. Vou-te gastar o dinheiro todo

47. Ladrões

48. Pior que óbito

49. Trabalhos por telefone

50. Onde andam os robots??!!

 

Deixem as vossas sugestões para aquilo a que devo dar nomes nas próximas semanas e digam outros nomes que já ouviram referentes aos Apoios ao Cliente.

 

A Hipster Chique

 

Seg | 18.09.17

#dia 247 - Not today...

No, not today...

Hoje não é o dia, hoje devia ter sido cancelado e não estou em mim.

Foi um daqueles dias que irá desaparecer da minha vida. Por isso, o post de hoje nunca terá sido escrito. Voltarei amanhã, por amanhã sim, amanhã é um dia!

 

A Hipster Chique

Dom | 17.09.17

#dia 246 - Domingo, again...

Domingo, outra vez, mas um domingo melhor. Neste dia de hoje que costuma ser de seca para mim, irei trazer um desafio que me foi colocado pel'As Rainhas, duas Rainhas com um blog fantástico.

Este desafio consta de dar resposta a sete perguntas e eu sou pessoa para adorar responder a estas coisas!

 

 

1. Qual o filme favorito?

Harry Potter e a Pedra Filosofal.

 

2. Qual a música favorita?

Vai mudando, pessoalmente qualquer uma dos anos 80 me faz dançar e cantar sempre que ouço, mas neste momento ando obcecada pela No Good Alone do Corey Harper.


3. Qual o prato favorito?

Lasanha ou um bom prato de ovos mexidos com massa cozida.


4. Qual a viagem de sonho?

Ilhas Virgens (Americanas).


5. Clube 

Benfica, de coração.


6. Um sonho

Nunca parar de escrever.


7. Qual o perfume favorito?

Ralph Lauren, Blue.

 

 

Espero que gostem e resto de bom domingo.

 

A Hipster Chique

 

Sab | 16.09.17

#dia 245 - Desarrumações mentais - O Desafio

Bem, quis a dESarrumada nomear-me para este desafio um tanto ou pouco invulgar mas divertido. Adorei a ideia de desarrumar as ideias e responder a um desafio onde não temos muito por onde nos esconder pois só podemos escolher um destas duas respostas maravilhosas

Venho então apresentar as minhas respostas e devidas e justificações.

 

 

1) Se te pagassem 100.000€ para posares na capa de uma revista, a segurar uma garrafa de champanhe numa mão e com alguém ao teu lado a dar-te morangos à boca vestido com o fato-de-banho verde do Borat, preferias que essa pessoa fosse o Manuel Luís Goucha ou o Fernando Mendes?

Fernando Mendes, porque ia ser tudo um ESPECTÁÁÁCULO! Teria era de reduzir o meu campo de visão para evitar traumas que nenhum psiquiatra poderia tratar.

 

 

2) Ias num cruzeiro, o teu barco naufragava, só havia dois sobreviventes e ambos davam à costa na mesma ilha deserta, com 4 metros x 4 metros. Teriam que obrigatoriamente conviver um com o outro todas as 24 horas do dia e ajudar-se mutuamente para sobreviver. Escolhias naufragar com o Donald Trump ou com o Kim Jong-un?

Kim Jong-Un, como não falamos a mesmo língua não teria de ouvir tanta porcaria que lhe deve sair pela boca e entretanto matava-o. De nada mundo.

 

 

3) Estás de olhos vendados numa câmara de tortura a ouvir em loop os mesmos 5 CD's. Não sabes quanto tempo vais lá estar, pode ser 1 dia, pode ser um ano. Que banda sonora escolhias: Quim Barreiros ou Ana Malhoa?

Ana Malhoa, se não me alimentassem durante um dia inteiro eu ia morrer, portanto a tortura não seria assim tão grande.

 

 

4) Escolhe, rápido: uma martelada no meio da mão direita ou bater com o dedo mindinho do pé esquerdo na quina de um móvel?

Dedo mindinho do pé esquerdo na quina do móvel, sem pensar duas vezes. A minha rica mão, preciso dela para trabalhar! A dor seria diabólica, mas paciência. Há sacrifícios que todos temos de fazer.

 

 

5) Última pergunta desta ronda: se fosses eleito presidente de Portugal, e te fosse concedido um génio da lâmpada que só te pudesse realizar um único desejo relativamente às tuas acções políticas, tu optavas por aumentar o salário mínimo para 1100€/mês ou fazer com que nunca mais houvesse um incêndio em Portugal?

Fazer com que nunca mais houvesse incêndios em Portugal. Eu nasci e fui criada num local lindo, cheio de natureza que vi praticamente todos os anos atacada por incêndios e hoje notasse bem o inferno que por ali passou, por isso esta escolha quase que torna bastante pessoal. 

 

Respondi com muita consciência.

 

Não vou nomear 25 pessoas, mas vou desafiar todos a responder a este desafio, porque acredito que irão travar numa pergunta qualquer e ficar ali horas. Hahahah

Como diz a dESarrumada, quem quiser juntar-se À festa é muito bem-vindo. 

 

A HIpster Chique

 

Sex | 15.09.17

#dia 244 - Talentos proibidos no currículo

Fazer um currículo é complicado e recentemente passei por uns meses em que só pensava em currículos e poderia deixa-los mais aliciantes.

Graças a Deus, neste momento não preciso de me preocupar com currículo, mas não consigo de achar injusto o facto de não poder colocar certos talentos na parte das aptidões, só porque nas palavras de quem me conhece "fica mal".

Fiquei então proibida, moralmente, de colocar estes talentos no meu currículo. Mas nada me impede de colocar no meu blog.

 

 

TALENTOS

 

  • Saber tocar a música Wildest Dreams no ukulele de forma PER-FEI-TA!

Foi a primeira que aprendi e hoje em dia está apenas de deixar inveja à antiga e nova Taylor Swift. Tenho pena de quem me ouviu no inicio e pelos danos auditivos que causei, mas hoje é uma canção de embalar.

 

  • Falar Klingon

Estou quase num nível de proficiência e pensei que me pudesse vir a abrir portas. Mas não, o que é injusto, pois se fosse Valyrian ou Dothraki já era a rainha da cocada preta. Entre os nerds também há discriminação.

 

  • Saber as falas de todos os filmes do Harry Potter 

"Always!", "Harry Potter, our new celebrity."... Posso fazer isto o dia todo. Adoro! Podia usar feitiços para lidar com clientes.

 

  • Conseguir dormir em qualquer lugar

Literalmente, em qualquer lugar seja em que situação for. Basta ter sono e voilá, eu durmo. Banco do jardim, poste de electricidade, estante, cama ou frigorífico. 

 

  • Fingir que tenho 15 anos

Das duas uma, ou olha para a minha cara ou olha para o meu quarto. Também podem ir pela opção de algumas peças de roupa.

 

  • Ganhar uma discussão em qualquer debate que seja Marvel vs DC

Naqueles fóruns de discussão eu já ganhei algumas batalhas e até na cadeira de cultura pop me saí bem. E para que conste, sou DC até morrer.

 

  • Fazer ritmos de com as unhas

Seja em mesas, livros, espelhos, logo que tenha unhas faço um set digno de DJ.

 

  • Acompanhar 33 séries, sem episódios em atraso e não baralhar as histórias

Nem vou para grandes explicações.

 

  • Cozinhar ovos mexidos com massa cozinha, literalmente com olhos fechados

Sou uma Chef, óbvio. Como não interessa num currículo?

 

 

Tenho emprego, mas com estes detalhes eu teria qualquer um que quisesse, obviamente!

 

A Hipster Chique

Sex | 15.09.17

O Sítio . Capítulo XIX

CAPÍTULO XVIII

 

 Este capítulo é especial por um motivo, será dividido em três partes e não serão narradas pela Jessyca, cada uma delas será narrada por três personagens diferentes. Esta escolha terá muito mais lógica lá para a frente. Espero que gostem.

 

 

CAPÍTULO, O DÉCIMO NONO

(Capítulo Especial)

 

 

"Boa. Faz isso! Já chega, temos de tentar decifrar os códigos e fazer um plano definitivo para entrar na O.P.I.M.. Ema, Hugo e Vasco, vocês vão fazer uma lista de possíveis suspeitos de serem a cria, jovens entre os 17 anos, Barry, vai buscar o manuscrito e o Tobias e eu ficamos a fazer um plano de entrada na O.P.I.M..", disse a Jessyca.

 

 

BARRY

 

Afastei-me da casa da Jessyca e ia à casa que tinha alugado no AirSóB buscar o manuscrito, pois tinha trazido vários materiais de pesquisa que eram do Dr. Rato e acho que até poderiam ajudar nesta busca.

Eu já sabia há algum tempo que o Dr. Rato tinha tido uma paixão com a Princesa Maionese e que andavam ambos, em separado, à procura da sua cria e que o primeiro passo que ele queria tomar era encontrar o filho ou filha que ambos tinham em conjunto. Mesmo assim não me recordo de quando ele me fez a tatuagem, mas acredito que o tenha feito para me proteger de possíveis ataques do O.P.I.M..

Ele é como um pai para mim, visto que sou órfão e estive até aos 16 anos num orfanato, antes do Dr. me dar trabalho e um tecto. Todas as pessoas lá da cidade pensam que ele é maluco, eu acho-o genial e vou fazer de tudo para o encontrar.

 

Cheguei a casa e andava à procura do manuscrito...

"Onde é que eu o meti?", falava eu comigo mesmo, algo que penso que o Dr. passou para mim. Trouxe uma mala cheia de documentos, diários e notebooks.

"Encontrei!", gritei assim que pus a mão ao diário que tinha o manuscrito e suas anotações, pois o manuscrito estava escrito em xhosa, uma língua da África do Sul, para protecção de dados. Eu aprendi um pouco de xhosa, mas não o suficiente para uma tradução sem apoio das anotações.

Toc, Toc, Toc... tocaram à porta. Estranho, porque não dei a minha morada a ninguém e devia ser apenas a senhoria da casa a querer saber se estava tudo bem. Arrumei os documentos, guardei o diário e abri a porta... era um homem alto acompanhado por outro vestido com farda da polícia.

"Boa tarde jovem, o meu nome é Capitão Viagem e trabalho para a polícia local. Soube que é novo na cidade e queria dar-lhe as boas vindas e fazer algumas perguntas de rotina. Algo que costumamos fazer com visitantes, turistas, estrangeiros no geral. Podemos entrar?", perguntou.

"Eu estava de saída e com alguma pressa, mas posso ir à Estação de Polícia para falar convosco assim que estiver livre. Pode ser ainda hoje.", respondi. Eu sabia que o nome dele não me era estranho e lembrei-me do nome do chefe do O.P.I.M., Capitão Douradinho Tio Viagem, não podia ser coincidência.

"Insistia que fosse agora. É rápido.", insistiu o Capitão.

"Peço desculpa, tenho mesmo de ir. Com licença.", disse, fechando a porta. Apanhei o máximo de documentos importantes e material do Dr. para uma mochila ou tudo o que pudesse denuncia-lo pois sabia que não poderia voltar cá e que assim que saísse, o O.P.I.M. ia invadir a casa. Saí a correr em direcção à casa da Jessyca após recolha dos documentos. Fiz alguns desvios porque não queria ser seguido.

 

Assim que cheguei a casa da Jessyca, percebi que tinha sido o primeiro a despachar-me na minha tarefa, pois a Ema, o Hugo e o Vasco ainda não tinham acabado de terminar a lista sobre os sujeitos que poderiam ser a cria e a Jessyca e o Tobias estavam lá em cima a discutir planos. Começava a sentir algo pela Jessyca, mas talvez com o Tobias por perto eu estivesse em desvantagem. Então fiquei ali numa mesa à parte da garagem a analisar o manuscrito e tentar pôr tudo em ordem para quando nos juntássemos todos.

 

 

HUGO

 

A tarefa que a Jessyca deu a mim, ao Vasco e à Ema, não era assim tão fácil quanto parecia. Como eu já vivo aqui neste buraco há 17 anos, eu teria de fazer a maior parte do trabalho onde o Vasco inspirava-me a pensar e a Ema apenas dava comigo em doido com a mania do controlo.

"Hugo, faz por ordem de idades! Primeiro os que tem 17 anos e depois os que fizeram 18 anos à menos de 2 meses. Tem mais lógica assim. E não esqueças de nos adicionar.", gritava a Ema, sim, porque ninguém fazia a bicha histérica ladrar mais baixo.

"Ema, querida, sossega sim! Não interessa as idades por ordem, porque nós nem sabemos a data de nascimento do ET e recuso-me a acreditar que os meus pais me adoptaram.", disse.

"Eu não me recuso a acreditar, ó desastre. Porque para que conste, eu fui criada numa sede de uma organização de terroristas que querem lutar com E.T's, por isso nada me espanta se eu for filha de uma Princesa Maionese e um Dr. que nem diploma deve ter com um website ilegal chamado Website Estranho. Eu adoro ketchup, tudo é possível.", disse a Ema.

"Sim, com sorte és tu. Já te imagino com uma palhinha na cabeça, que te irá crescer nesse mar de óleo a que chamas cabelo assim que vires a mamã ET e o papá Doutor juntos.", disse com o meu tom de sempre, sarcástico.

 

"Podem parar os dois?! Isto é ridículo. Vamos tentar pôr o nome de todos os jovens de 17 e 18 anos que não tem tatuagem e ponto. Temos de levar isto a sério.", disse o Vasco.

Eu concordei porque não conseguia dizer não àquela cara linda. Desde o Malaquias, o meu ex e primo em quarto grau, que não me apaixonava por ninguém e o Vasco conquistou-me rápido. Não sabia onde a nossa relação ia ter e como iria fazer se ele tivesse de ir embora, mas gosto tanto dele.

Tenho saudades da normalidade e de quando podia falar com a Jessyca sobre os meus devaneios amorosos. Não conseguia aceitar a ideia de ser um ET, ou o Vasco... Precisamos resolver isto.

 

Peguei numa caneta e comecei a escrever os nomes dos meus colegas de turma e tentei preencher o máximo possível com outros de outras turmas e pessoas que mesmo com 17 e 18 anos já não andavam na escola. Eram cerca de 200 nomes. Seria algo estranho andar a pedir a todos para ver o pulso em busca de tatuagem de ovo rachado ou completo. E perguntar estava um pouco fora de questão.

"E se a cria é alguém que esteve cá, mas já cá não está. O tempo não para só porque andamos nesta missão.", questionou o Vasco.

"Tens razão, mas temos de jogar com as cartas que temos.", disse a Ema.

Entretanto ouvimos a porta da garagem a abrir e era o Barry, que penso que está com um fraquinho pela Jessyca, mas a Jessyca tem uma crush enorme pelo Tobias, que penso que sente o mesmo mas comporta-se como um atrasado mental. Um triângulo amoroso em tempo de guerra, parece o Pearl Harbor dos tempos modernos. Adoro!

Demos uma última vista de olhos na lista e fomos ter com o Barry para ver o manuscrito enquanto o Tobias e a Ema estavam lá em cima a discutir os planos, ou a fazer outras coisas, sabe-se lá.

 

 

TOBIAS

 

Eu não tinha ideia de como ia meter este grupo de amadores dentro da organização super protegida do meu pai, mas ao menos comigo tinham melhores hipóteses e podia estar perto da Jessyca.

Nunca fui uma pessoa de sentimentos e tentei sempre evitar apaixonar-me porque queria ser como o meu pai um dia e focar-me na carreira militar. Até isso me estava a incomodar. Eu achava que o O.P.I.M. era uma organização do bem e que estávamos a proteger a população, mas afinal não, apenas parecem interessados em poder.

"Estás a prestar atenção ao que estou a dizer?!", disse a Jessyca.

"Sim, estou. Estavas a dizer?", perguntei.

"Eu acho que talvez haja uma boa oportunidade de entrarmos pela portas das traseiras, a da emergência.", disse a Jessyca.

"Como?!", perguntei um pouco confuso.

 

"Causando uma emergência claro. Tu tens de causar uma emergência! Nos documentos da O.P.I.M. diz que quando há uma emergência seguida de uma falha de energia o gerador demora cerca de 3 minutos a ligar.", explicou a Jessyca.

"Ok. Então tu queres que eu crie uma emergência e desligue a energia de uma base enorme, de preferência uma que chame os guardas para a Sala Principal. A energia fica em baixo por 3 minutos, vocês os quatro entram pela porta de emergência, libertam a Princesa e o Dr. Rato e saem todos pela mesma porta. Tudo em menos de 3 minutos?", perguntei.

"Sim. Nem mais! Que achas? Achas possível?", perguntou a Jessyca.

"Não acho impossível e isso já é alguma coisa. Precisamos estudar bem o plano e os timings e principalmente que emergência será essa.", respondi.

A cara da Jessyca mudou. Estava a sorrir e eu adorava aquele sorriso e todo aquele positivismo. Estávamos a trocar olhares, contentes com o nosso pré-plano e eu não resisti... beijei-a.

 

Foram apenas alguns segundos, mas foi como se de repente nada se passasse, não houvesses crias, nem Princesas, nem ET's, nada.

"Porque fizeste isto?", sussurrou a Jessyca.

"Desculpa, sei que não devia. Fiquei contente com o nosso plano e deixei-me levar. Desculpa.", expliquei, de certa maneira mentindo. Eu queria fazer aquilo, queria beija-la há muito tempo.

"Tudo bem. Acho que devíamos ir, devem estar todos à nossa espera.", disse a Jessyca com uma cara atordoada...

Saímos do quarto e fomos em direcção à garagem. Lá já estavam todos à nossa espera.

A Ema, o Vasco e o Hugo já tinham terminado uma lista gigante de possíveis suspeitos, o Barry trouxe o manuscrito com alguns documentos para tentarmos descobrir o código da cria e eu e Jessyca tínhamos a ideia de um plano para invadir a O.P.I.M..

Por isso parece mesmo que este grupo de amadores, ou S.A.I.D.A.S. como diz o Hugo, vai mesmo cometer suicídio conjunto.

  

 

O SÍTIO.jpg

 

(Esta é uma série que já faz parte do blog d'A Hipster Chique há algum tempo e aqui está o décimo nono capítulo. Link dos restantes capítulos no inicio.)

Pág. 1/3