Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

A Hipster Chique

As trivialidades de uma geek, talvez um pouco hipster, com algum sentido de humor e criatividade q.b..

Ter | 27.06.17

#dia 164 - O conto d'A felpuda

Há uns tempos contei-vos aqui um conto amoroso, uma história emocionante, contei-vos O conto d'A cueca cor-de-rosa... um conto de sobre a menina tímida, a Juricide.

Hoje trago-vos a sequela, a história da amiga da Juricide, a Heksamira. 

Relaxem e aproveitem esta história que irá alcançar gerações.

Este é o conto d'A felpuda.

 

Era uma vez...

uma menina engraçada chamada Heksamira.Heksamira era amiga da Juricide e resolveu ir passar férias à mesma casa da amiga, a casa de umas pessoas estranhas.

Ela era simpática e um pouco riso histérico, algo que possivelmente incomodou muitos cães naquela altura dada a frequência elevada que alcançava. Esta não tinha medo de meninos, tinha medo de meninos e meninas.

Heksamira estava a viver um bom momento da sua vida, a conhecer novas terras e a combater um problema grave, mas já lá iremos.

 

Tudo corria bem nesta nova habitação e para alem da sua fixação por chaves, barulhos nocturnos e tentativas de criar um solário no seu quarto, Heksamira sabia que não podia esconder a sua condição e quem era de verdade.

Numa manhã cinzenta um habitante da casa estranha deu com o terror. Pelagem solta pela pedra do lavatório e a incapacidade de puxar o autoclismo foi o que se encontrou.

Não se sabia como reagir a tal cena do crime. Até que os habitantes pensaram e pensaram e pensaram e pensaram e... pensaram e chegaram lá.

 

Heksamira era um Chewbacca! Mas não um qualquer. Este tinha perda de pelagem e com o tamanho grande das mãos vinha a inabilidade de carregar num simples botão e levar para o mais profundo da canalização os seus dejectos. Agora tudo fazia sentido...

 

Menos claro a badalhoquice da porquixona que decidiu deixar um pequeno souvenir para os habitantes.

 

JQcf5fsQ.jpg

 

FIM

 

A Hipster Chique

Seg | 26.06.17

#dia 163 - Apenas... até amanhã

Hoje eu não me sinto em condições de escrever muito ou de escrever algo com aquela qualidade a que estão habituados. Está tudo bem, não apanhei o meu pato a trair-me com a impressora, não manchei os lençóis de cor de rosa e de certeza não ganhei um nariz na barriga, apenas há dias assim ou talvez tudo tenha acontecido, mas... we'll never know!! Amanhã regressarei com um tema fantástico, a hora do banho.

 

Já agora, quero um momento pequeno para agradecer à escritora e grande inspiração J.K. Rowling porque há 20 anos criou um mundo de magia que me ajudou a crescer e que ainda hoje me faz sonhar. Eu nunca serei uma muggle e mesmo com 90 anos irei sempre lembrar-me do feiticeiro que escolheu a amizade e o amor como instrumento de luta contra o mal.

Harry Potter, after all this time? Always! 

 

635886823669792745-629096590_tumblr_o13s8vVysv1s2o

 

 A Hipster Chique

Dom | 25.06.17

#dia 162 - Domingo, again...

Domingo, ó dia chato...

 

Este domingo foi passado a escrever e a comer. Choveu um pouco, graças a deus!

 

Não consigo perceber o que se anda a passar com o défice, porque no Observador diz "Défice cai para 2,1% no primeiro trimestre", no Jornal de Notícias temos "Défice orçamental ficou nos 2,1% no primeiro trimestre" e no Diário de Notícias "Défice público subiu para 2,1% no primeiro trimestre". Ao menos ficamos com uma certeza, défice é de 2,1%!

DDGO_1HXkAEf9Bb.jpg-large.jpeg

 

A Vidcon foi este fim de semana e para quem não sabe, é uma convenção de criadores de conteúdo on-line, como Youtubers, Bloggers, Vloggers. Sonho um dia poder ir lá não só como fã, mas como criadora! É mais que um sonho, é uma meta.

 

Escrevi um capítulo especial da série que escrevo aqui para o blog, O Sítio, o Capítulo XII. Vão ler... JÁ! Ou depois, desculpem.

 

Por aqui me fico, até amanhã...

 

A Hipster Chique

Dom | 25.06.17

O Sítio . Capítulo XII

CAPÍTULO I   CAPÍTULO II   CAPÍTULO III   CAPÍTULO IV   CAPÍTULO V   CAPÍTULO VI   CAPÍTULO VII   CAPÍTULO VIII   CAPÍTULO IX   CAPÍTULO X   CAPÍTULO XI

 

 

CAPÍTULO, O DÉCIMO SEGUNDO

(Capítulo Especial)

 

 

 

Alguém tinha colocado uma bomba numa das paredes da sede do O.P.I.M. e antes que desmaiasse vi um vulto, demasiado familiar.

Era a Princesa Maionese...

 

Não sei ao certo quanto tempo passou. Sei que acordei numa sala escura, desorientada e ainda com uma audição um pouco afectada por causa da explosão.

Olhei para os lados e vi a Ema, o Hugo, o Agente Vasco e outros agentes, todos com caras confusas e sem saber muito bem o que fazer. 

Na minha mente eu só pensava no que tinha visto depois da explosão... era a silhueta da Princesa Maionese, mas desta vez eu vi quem realmente ela era ou como parecia. Era uma mulher normal, num fato que parecia ser espacial que em sombra fazia-a parecer um bicho gigante. Confesso que sempre a tinha imaginado um E.T. com um grave problema de acne de tanto leite achocolatado que poderia consumir, já que vinha da Via do Leite Achocolatado.

"Como teria conseguido ela chegar até cá?", podia ser a pergunta que mais me invadia a mente, mas cada vez mais fazia sentido de que o Tobias era de facto um espião para ela.

 

"Não vos cheira a couratos?", disse o Hugo um pouco baralhado, nada que uma chapada à polaca da Ema não resolve-se.

"O que se passou? Porque estamos na sala de contenção?", perguntou a Ema.

"Não sei. Só me lembro da explosão e de ver a Princesa Maionese, depois desmaiei e acordei aqui.", respondi.

"A Princesa Maionese está cá??!", disseram a Ema e o Hugo quase em uníssono.

"Sim. Eu lembro-me da silhueta dela. Mas ela é apenas uma figura humana com um grande fato estranho vestido.", disse.

"Nós temos de sair aqui. Os outros podem estar em perigo, ela é perigosa! Procurem possíveis saídas ou ajudas, gritem, alguma coisa!", disse a Ema que começava a entrar em pânico.

Nós começamos todos a procurar, havia agentes que ainda estavam adormecidos e eu rezava para que fosse mesmo um sono pesado, porque nós no Sítio temos uma superstição de que se estivermos na presença de um morto por mais de 30 minutos ficávamos com erupções cutâneas no umbigo até ao fim da vida, por isso os funerais não duravam mais de 15 minutos. Havia uma porta, mas era muito pesada para conseguir deitar a baixo e as paredes pareciam ser feitas de um material anti-som.

Estávamos presos e só nos bastava esperar...

 

Passado um tempo começamos a ouvir vozes e a porta abriu-se. Vi o Tobias acompanhado por dois homens que nunca tinha visto que o lançaram para dentro da nossa sala fechando a porta com agressividade.

O Tobias estava sério e com algumas marcas de ter sido agredido. Ficamos todos a olhar para ele e eu não quis perder tempo...

"Que se está a passar?", perguntei.

Obtive silêncio e um olhar triste por parte do Tobias.

"Tobias, fala. Que se está a passar lá fora? Tu tens alguma coisa a ver com a Princesa Maionese?", perguntou a Ema.

Continuamos sem respostas. De repente o Hugo levantou-se foi ao encontro do Tobias e pegando na sua camisola encostou-o à parede com força e gritou...

"Ouve lá, eu estou cansado e com dores! Todos nós estamos! Não tenho a minha bomba de ar e ainda estou com as alergias no máximo por causa dos cachecóis da casa da Jessyca. Quem é a Princesa Maionese? O que se passa? E que raio tens tu a ver com isto tudo!? Responde ou eu não respondo por mim!". 

O Hugo estava de punho levantado e bastante nervoso. Nunca o tinha visto assim. Eu e a Ema já nos estávamos a preparar para o acalmar quando o Tobias decidiu falar...

"Calma. Eu falo. Eu conto tudo...".

"Estamos à espera!", disse o Hugo.

 

Fez-se um segundo de silêncio e o Tobias começou a falar...

"Há um ano atrás fui contactado por e-mail por alguém que assinava como "62466373" a dizer que queria encontrar-se comigo para me dar informações sobre o caso da Maionese. Como tinha acabado de ser indicado como líder de operações do caso e estava com poucas informações decidi ir ao encontro desta pessoa desconhecida que acabou por ser a Princesa Maionese. Em primeiro eu estava um pouco a medo mas fiquei para ouvir a história dela..."

"E ficaste com tanta pena que decidiste trair toda a gente?", interrompeu a Ema.

"Não. Eu apenas percebi o que ela andava a fazer e cheguei a um acordo com ela. Eu ajudava-a a encontrar a cria com certas ferramentas e informações do O.P.I.M e fazia com que ela não fosse presa e ela não lançava o gás anal cheio de ovos podres. Contudo tinha de manter o meu disfarce aqui na agência e continuar o meu trabalho. Mantinha contacto com ela a partir do cartão que foste encontrar no meu casaco.", continuou o Tobias.

Percebi que se dirigia a mim...

"Mas então porque estás aqui e qual a razão de ela ter rebentado o O.P.I.M.?", perguntei.

"Porque existe mesmo um traidor e não sou eu. Alguém lhe foi dizer que a cria estava em nosso poder e que tinha provas disso. A Carolina não é a cria e eu não sei quem é. Ela achou que eu estava a engana-la e a mentir sobre a identidade e fez o ataque.", disse o Tobias.

"Como podemos sair daqui?", perguntou o Hugo.

"Não podemos. Estamos presos até ela encontrar a cria.", respondeu o Tobias.

"Não é bem verdade!", a porta abriu-se e já sem o seu fato espacial estávamos de caras com a própria Princesa Maionese, continuou...

 

"Eu vou precisar da vossa ajuda.".

 

O SÍTIO.jpg

 

(Esta é uma série que já faz parte do blog d'A Hipster Chique há algum tempo e aqui está o décimo segundo capítulo. Link dos restantes capítulos no inicio.)

Sab | 24.06.17

#dia 161 - E se estas fossem as tuas últimas palavras?

Já pensaram quais seriam as vossas últimas palavras para certas pessoas que cruzam a vossa vida no dia a dia?! Eu não, apenas hoje porque vi num episódio de How I Met Your Mother.

Várias pessoas em diferentes situações passaram pela minha vida e em homenagem a elas vou hoje escrever quais seriam as minhas últimas palavras para elas. Façam o mesmo, é libertador!

 

 

AO / À...

 

Médico do meu parto

"Seu ******, filho da ****, vai para o ******* que te ****. Eu estava muito bem quentinha naquela barriga e tu ó ******** ******, tinhas de me tirar de lá de dentro! E nem foi pelo ****, foi pela barriga."

 

Cabeleireira

"Quando o teu marido te pergunta em relação ao tamanho da pilinha e tu dizes que é grande mesmo estando a olhares para um feijão... pois, NÃO FAÇAS O MESMO COM O TEU TRABALHO! Quando peço para cortares dois dedos de cabelo, tu cortas dois dedos de cabelo."

 

Professora "favorita"

"Obrigada por toda a energia que depositou a... rebaixar-me! Espero que um castor deposite a mesma energia para a comer viva durante a noite."

 

"Amiga" 

"Gosto tanto do teu cabelo. Devias hidrata-lo melhor. Ouvi dizer que Aloé Vera com ácido dá um óptimo hidratante."

 

Amante do meu futuro ex-marido

"Eu dei-lhe sífilis e herpes! Diverte-te."

 

Prima "favorita"

"Somos do mesmo sangue, mas nunca hei-de esquecer de ti a roubar a minha Barbie Navegadora e a brincar à minha frente como se fosse tua. Agora percebo o motivo que levou o Ken ao divórcio."

 

Ex-namorado

"Eu compreendo a tua fuga."

 

Homem do talho do Pingo Doce

"Eu pedi carne de vaca e tu deste-me carne de porco. Percebo que não queiras matar a tua própria raça, mas eu quero vaca!"

 

Meu pato

"Desculpas os traumas."

 

A mim mesma

"Hoje vou fazer SkyDive sem para-quedas."

 

A Hipster Chique

Sex | 23.06.17

#dia 160 - 9 razões para sorrir

Hoje o dia até tem sido um dia calmo e bom. Recebi boas notícias, dormi que foi uma maravilha, tenho escrito coisas que adoro, comi muito bem e recebi uma excelente notícia. Um dia "sim" com pouco calor, ou seja, dia fantástico... pelo menos até alguém me estragar o humor. Vamos ver como corre. 

Por enquanto fico-me pelo post de hoje, inspirado do que está a ser o meu dia até agora.

Apresento então 10 razões para sorrir.

 

 

1. Dentes

Se tens bons dentes, sorri, porque há quem não tenho dentes perfeitamente alinhados, brancos e brilhantes. Se viver dentro de um anúncio da Colgate com dentes que fazem inveja ao Photoshop. Sorri!

 

 

2. Portugal

Vives em Portugal e sabes que o teu Presidente não é o Donald Trump, o teu presidente é o Marcelo, o homem que vai a todas... as situações. Sorri!

 

 

3. Bebés

Quando vês bebés na rua, sorri e muito. Primeiro porque são fofos, segundo porque não são teus e não terás de lhes mudar a fralda, apenas fazer caras estranhas e dizer "Olá" com voz de Minion. Sorri!

 

 

4. Grátis

Se te convidam para sair e te dizem "Eu pago!", antes que acabem de dizer já deves estar tu perto da pessoa com um sorriso na cara. Porque borlas não se recusam. Sorri!

 

 

5. Nódoas

Fazer uma nódoa na tua camisola não deve ser motivo de tristeza, deve ser motivo de alegria! Porquê? Então, menos uma para lavar e estender. Por isso diz sim à sujidade e eu digo adeus a uma parceria com a Skip. Sorri!

 

 

6. Acidentes

Aquela tua "amiga" atravessou a estrada e foi passada em cima com um tractor e ficou sem bacia e sem dentes?! Boa, mostra esses dentes. Se a tua professora se engasga a comer leite creme e não poderá dar o teste, ainda melhor! Tudo motivos para quê... Sorrir!

 

 

7. Traições

Apanhas o teu namorado a trair-te com a tua melhor amiga e achas que o fim do mundo está cá. Errado! Tens de sorrir, porque agora o problema será dela e todas aquelas noites de a fingir amostrar de prazer irão acabar. Sorri!

 

 

8. Aquela pessoa

Quando aquela pessoa te sorri, tu sabes, aquela pessoa que tu gostas e que queres ver a toda a hora e fazer coisas pecaminosas em locais ilegais, deves sorrir enquanto podes, porque provavelmente foi engano e confundiu-te com outra pessoa. Por isso... Sorri!

 

 

9. Mini-Nerd

Sorri, porque conseguiste mostrar às pessoas que para além dos problemas, das discriminações, do temperamento estúpido da tua idade e de coisas que nem tu consegues controlar foste capaz de algo que não me dá menos que orgulho. O céu é o limite! Parabéns.

 

Sorri, porque...

 

A Hipster Chique, sorriu!

Qui | 22.06.17

O Sítio . Capítulo XI

CAPÍTULO I   CAPÍTULO II   CAPÍTULO III   CAPÍTULO IV   CAPÍTULO V   CAPÍTULO VI   CAPÍTULO VII   CAPÍTULO VIII   CAPÍTULO IX   CAPÍTULO X

 

 

CAPÍTULO, O DÉCIMO PRIMEIRO

 

 

 

Por um bocado estava tudo silencioso, tudo menos a minha mente... Não podia acreditar...

O 62466373 era o Tobias!

 

Estava tudo escuro dentro da consola da verdade pura ou como eu sempre irei chamar, túmulo da múmia. Eu não ouvia um som e de repente uma luz em forma de rectângulo aparece à minha frente com a seguinte frase...

"DIZ O TEU NOME COMPLETO."

E aquilo que me saiu pela boca fora, assustou-me...

"Acyssej Yllek Orbmezed Acissej.".

Não estava a conseguir falar normal, as palavras não me saiam como eu queria, mas no ecrã apareceu "VERDADE". Fiquei confusa, sentia o coração acelerado e tinha as palmas das mãos completamente suadas. A próxima questão saiu...

"DE QUE CLUBE DE GALETAS ÉS TU?"

"Uos Sod Satelobrob.", respondi outra vez confusa pelo que me saía da boca, mas o que me saiu foi "VERDADE" outra vez. Parecia que estava a falar ao contrário, mas que não conseguia parar.

Próxima questão que apareceu...

"TIVESTE ALGUM CONTACTO COM A VILÃ CONHECIDA PELO NOME PRINCESA MAIONESE?"

"Mis, Evit.", respondi, sem perceber ainda o que se estava a passar para estar a falar assim e porque tinha acabado de dizer algo que não me pareceu de todo o que queria dizer...

 

De repente a máquina abriu, vi muita luz e um Capitão Douradinho Tio Viagem a olhar para mim com cara de poucos amigos, eu ainda tentei falar mas fui imediatamente interrompida...

"Eu e os meus filhos acreditamos em ti, que podias ajudar e que eras boa pessoa e afinal és a traidora!! Vais imediatamente para uma cela! Agentes!", gritava o Capitão.

Eu tentava falar mas continuava a ser interrompida, dois agentes rapidamente se dirigiram à sala da consola da verdade pura e agarram-me, levando-me para fora, para o salão principal.

"Que se passa pai? Porque a estão a perder?", perguntou o Tobias.

"Ela admitiu ter contacto com a Princesa Maionese! Ela é a traidora!", respondeu o Capitão.

"Não pode ser pai. Deve haver um engano! Jessyca, que se passou?", disse a Ema.

Finalmente alguém me dava oportunidade para falar...

"Eu não sei o que se passou! Eu nunca falei com essa Princesa Maionese. Eu queria dizer que não, mas não conseguia ter controlo das minhas palavras.", defendi-me.

"Aquela máquina não mente! Obriga-te a dizer a verdade e todas as respostas que dás saem ao contrário. Nós confiámos em ti.", disse o Tobias.

 

Eu não podia acreditar que o Tobias estava a duvidar de mim. Fiquei irritada e lembrei-me do cartão que tinha caído do casaco que ele me tinha emprestado que tinha "62466373" escrito em dourado, o número da assinatura do e-mail que recebi quando os meus pais desapareceram. Não me contive...

"E eu confiei em ti! Eu vi o cartão. Aquele número é a assinatura do e-mail que recebi depois dos meus pais desaparecem. Não sabia que tinhas um terceiro nome!".

"Que número? Que cartão?", perguntou o Capitão.

"Assim que os meus pais desapareceram recebi um e-mail com uma assinatura em números. E no casaco do Tobias estava um cartão com esse mesmo número.", respondi.

"Não sei do que falas!", disse o Tobias já nervoso.

 

O Capitão ordenou a minha libertação para que eu pudesse aceder ao meu telemóvel e mostrar o e-mail. O Agente Quintas foi à sala da consola da verdade pura e trouxe consigo o cartão que estava debaixo da máquina.

"Este é o e-mail...

"Para: jessycajessica_nseleoy@sitiosa.com

 De: 62466373@teamf.com

 

Quando se sabe demais, perde-se demais. Há laços parentais mais fortes que cordão de fígado de vassoura e o deles não era, adeus.

 

62466373"

 

A expressão do Capitão mudou e todos os que testemunharam este momento olharam para o Tobias com ar desconfiado. 

"O que é isto filho?!", perguntou o Capitão ao Tobias.

"Eu posso explicar. Isto não é o que estão a pensar. Esse e-mail foi enviado pela Princesa Maionese, os números equivalem ao seu nome. E o cartão é uma forma de contacto com ela. A Jessyca não nos mentiu, ela esteve sim em contacto com a Princesa, mas sem saber através desse e-mail, foi isso que a consola da verdade pura apanhou.", explicou o Tobias.

"Porque precisas de estar em contacto com esta vilã?", perguntou o Capitão que já apresentava um tom de desilusão.

"Não posso dizer. Desculpa.", disse o Tobias

"Levem-no... para a sala de interrogações.", disse o Capitão, que se afastou de todos ao mesmo tempo que o Tobias era levado por dois agentes.

 

Já tinha a explicação de quem me tinha enviado o e-mail, mas isso apenas levantou ainda mais questões. Qual a razão da Princesa Maionese estar a contactar-me? Porque estaria o Tobias a tentar incriminar-me?

Um nome, com tantas perguntas por responder...

 

6      2      4      6      6      3      7      3

                                                                          M     A      I       O     N      E     S      E

 

Eu não queria estar aqui, não queria isto... procurei pelo Hugo e não o via em lado nenhum. Perguntei à Ema, que estava em estado de choque e ela não o tinha visto. Fui procura-lo pela agência e encontrei-o numa situação que iria fazer o seu sobrenome ser apenas isso (Virgem, um sobrenome), com o Agente Vasco.

Interrompi, chamei-o à parte e contei-lhe o que se tinha passado. Choque é pouco para descrever a sua reacção.

"Jessyca, nós precisamos falar com o Tobias. Duvido que ele vá dizer algo ao pai.", disse o Hugo

"Isso é a tua pior ideia desde que me pediste para verificar se tinhas febre amarela medindo o tamanho dos teus pelos do nariz! Eu não quero falar com ele. Eu quero ir embora!", respondi.

"Se formos embora nunca mais iremos ter as respostas que queremos. Vamos falar com a Ema, ela pode ajudar-nos.", disse o Hugo.

 

O Hugo acabou por me convencer, até porque ele tinha razão, prefiro sofrer e ter respostas do que sair daqui com mais perguntas do que as que tinha ao entrar.

Estava tudo em alvoroço e conseguia ouvir-se os gritos do Capitão Douradinho Tio Viagem. Fomos em direcção à Ema que estava a tentar defender o irmão de agentes que queriam fazer justiça pelas próprias mãos.

"Ema, precisamos falar contigo!", gritei eu.

"Esperem um pouco e abaixem-se!", disse a Ema para mim e para o Hugo.

Num grito alto, ouviu-se a sua voz máscula...

"SOLTEM A CEBOLA CORTADA!!"

Vários milhares de pedaços de cebola cortada vieram pelo ar e colocaram dezenas de agentes a chorar. Senti uma mão nas costas que me empurrava a mim e ao Hugo para uma sala ao fundo do corredor. Era a Ema que nos tinha retirado da sala principal para podermos falar mais calmamente.

"Aqui podemos falar à vontade.", disse ela.

"Ainda bem. Porque nós queremos falar com o Tobias e só tu nos podes ajudar a entrar naquela sala.", disse.

"Eu ajudo, mas vou convosco.", respondeu.

 

De repente começamos a ouvir uns estrondos cada vez mais fortes que vinham da sala principal. Dirigimos-nos para lá e fomos imediatamente envolvidos em poeira e pedra. Alguém tinha colocado uma bomba numa das paredes da sede do O.P.I.M. e antes que desmaiasse vi um vulto, demasiado familiar.

Era a Princesa Maionese...

 

 

(P.S. Como estive duas semanas sem escrever para esta série, irei colocar um capítulo especial este fim de semana!)

O SÍTIO.jpg

 

(Esta é uma série que já faz parte do blog d'A Hipster Chique há algum tempo e aqui está o décimo primeiro capítulo. Link dos restantes capítulos no inicio.)

Qui | 22.06.17

#dia 159 - A Hipster anda stressada

Simples, o título desta vez diz tudo.

Ando um pouco stressada... Quero escrever todos os dias e escrevo, mas às vezes há dias que gosto de tirar só para mim e não estar tanto tempo agarrada ao computador.

Hoje é um desses dias. Ando a tratar do lançamento do meu livro, já está escolhida a capa e estamos em processo de paginação final e publicidade.

Depois disso é rapidinho. Irei dando notícias. Ainda nem acredito que escrevi um livro, estou sem dúvida orgulhosa de mim mesma e vou falar dele muitas vezes aqui, preparem-se!!

 

Amanhã irei voltar com os meus posts normais e por agora fiquem com os anteriores e com o novo capítulo d'O Sítio, a série que escrevo aqui para o blog e que após duas semanas de ausência volta em grande.

Este fim de semana irei lançar os favoritos de Junho e a playlist do mês de Julho porque o início do mês de Julho será atribulado e vou tentar preparar posts anteriormente.

 

A Hipster Chique

Qua | 21.06.17

#dia 158 - Eu... preciso de ajuda... talvez...

Então é assim, este post ou é um grito por ajuda ou é uma verdade que não pode ser alterada. Em conclusão, eu tenho um problema.

Eu gosto de ir às compras quando tenho dinheiro e disposição. Não gosto de ir às compras quando há muita gente no centro comercial e pouco dinheiro na carteira.

Mas vamos falar de quando vou às compras...

 

 

Roupa "básica"

Quero comprar roupa e assim que entro em lojas os meus olhos fazem sempre o mesmo exercício:

- Procuro a roupa mais básica

- Cores claras

- Poucos rasgões

- Poucos adereços

- Encontro, depois de 84 anos de procura

Conclusão, compro duas t-shirts simples, com um desenho pequenino no canto talvez, um jeans azuis e sapatos com brilhantes e unicórnios desenhados.

Conseguem ver o problema? O que de errado se passa na minha cabeça para começar com uma ideia que quero coisas básicas e sem padrões e depois há sempre um objecto que compro que foge à regra de uma maneira louca.

Não escapa... No outro dia, carteira rosa com purpurinas, que cegava um cego... há umas semanas, camisola com mais flores que um jardim botânico... há uns meses, um casaco tão brilhante que posso dar férias ao colete reflector.

 

 

 

Sephora

Nome inofensivo para vocês, inferno para mim. Quando vou a um centro comercial que tem Sephora a ideia é passar longe, bem bem bem bem longe!! Porquê?

Eu entro e penso "Vou só ver o que tem.", passo num corredor, passo noutro e há algo que começa a funcionar mal. De repente dou por mim com um perfume que cheira a formigas com sarampo, cotonetes para limpeza de poros capilares, máscaras faciais que acabam por me arrancar pestanas no processo, escovas de maquilhagem com tamanhos inúteis e outras coisas que nem eu mesma sei porque levo.

Já para não falar do nome dos produtos que por vezes compro, um dos últimos dá-se pelo nome de "Orgasmo". O que deve dizer muito (pouco) sobre mim.

 

 

Clube da Vaca Gorda

Não, escusam de pesquisar no Google sobre este clube, até porque se fizerem, as primeiras pesquisas serão sobre o Bruno de Carvalho. Uma vaca gorda anónima...ups! Mas afinal de que estou eu a falar? 

Estou a falar de um restaurante fofinho, chamado Chimarrão que me fez entrar no clube da vaca gorda. Eu vou ao Chimarrão e escolho sempre o menu Perninhas de Frango e vai com arroz, feijão e batatas fritas. Bomba calórica!

E o mais triste é que comia três pratos destes seguidos!!

Assim que ouço a senhora perguntar:

- "Quer com dois ou três acompanhamentos?", a minha mente vira...

- "DOIS! ABSURDO!! QUE VIGARICE DE PERGUNTA!! QUERO QUATRO E PAGO O EXTRA!! SE FOR PRECISO EU MATO AS GALINHAS!", eu respondo...

- "Quero três. Obrigada!", e a mulher começa a meter para o prato e a mente ataca de novo...

- "QUE VERGONHA DE COLHERADA! PONHA MAIS!! SOU DIGNA DE PORÇÃO DE FEIJÃO QUE REBENTARÁ ATÉ A SANITA MAIS FORTE ESTA NOITE!", mas na realidade eu...

- "Obrigada. Está bom assim."

(uma hora depois)

- "Boa noite, queria o menu Perninhas de Frango com três acompanhamentos.", e a mulher...

- "Boa noite. Por aqui outra vez?", e eu (tristeza)...

- "Eu?! Quem?! Como?! Como se atreve?!... Sim...".

Pois...

 

I need help... or maybe not...

 

A Hipster Chique

Ter | 20.06.17

#dia 157 - Privação de sono = Hipster com defeito

Penso já ter dito aqui que não funciono bem quando estou com privação de sono e hoje é um desses dias. Dormi cerca de duas horas e mal dormidas e passei o dia todo acordado.

Como estou num estado onde escrever poderá ser equivalente a uma Hipster que acabou de beber duas caixas de vinho quente empacotado da mercearia, apenas vou contar o meu dia... o meu dia de privação de sono. Vamos por pontos, para facilitar...

 

  • acordei com uma chamada e num estado de "eu estou viva, diz", mas com um pouco de "eu estou viva, porquê??!"

 

  • ontem cortei meia unha do pé, chafariz de sangue por todo o lado, só faltava elefantes para parecer uma sequela de Fantasia. Tudo isto porque com o corta unhas sou uma criança de 4 anos. Tudo isto para dizer que hoje acordei de manhã e o chafariz voltou...

 

  • descobri que o sistema nacional de saúde precisa de um ataque homicida a certas enfermeiras... eu voluntario-me! Pelos vistos trabalho e muro das lamentações para criaturas desprovidas de amor é exactamente a mesma coisa

 

  • o meu quarto, ou seja, sauna precisou de limpeza e de mudança de lençóis/capa de edredão. Até agora acho que nada de saudável se passou com o meu corpo durante aquela hora. Tanto suor, tanta vermelhidão...

 

  • tomei banho de água fria e vi uma luz... vermelha a piscar, a coluna ficou sem bateria a meio do banho e isso quer dizer que não houve música

 

  • devorei 16 asas de frango como se não houvesse amanhã e ainda me orgulho de tal

 

  • estou a fazer duas máquinas de lavar e dois dos meus calções são agora companhia do caixote do lixo porque foram fatalidades do chafariz de sangue

 

  • durante o dia, andei e andei e andei e andei e o sol queima e mói

 

  • estou a escrever isto e já penso que estou a dizer demasiadas asneiras... vou parar. Até amanhã

 

 

A Hipster Chique

Pág. 1/4